“Foi um plano diabólico para usurpar o meu mandato”, diz Jocimar sobre suposta rachadinha

Foto: Anderson Vieira/Olhar do Vale

Finalizou na tarde de ontem (25) o trabalho de coleta de depoimentos na comissão processante da Câmara Municipal de Brusque que analisa suposto crime de rachadinha envolvendo o vereador afastado Jocimar do Santos Lima (DC). Os depoimentos começaram a ser colhidos na sexta-feira passada (19)com o denunciante, Eder Leite, fazendo a sua explanação.

Nesta semana tivemos os policiais que efetuaram o flagrante, Rodrigo Voltolini, acusado pela defesa de arquitetar uma possível armação do flagrante, a esposa de Eder, Silvana Fugazza e nove testemunhas de defesa.

O relator Jean Dalmolin (Republicanos) redigirá um texto ao final de toda a investigação para que seja lido em plenário no mês de março e os vereadores votem a favor ou contra a cassação de Jocimar do Santos Lima. “A gente está no aguardo porque foram feitos dois pedidos para estarem incluindo provas durante este processo, um dos pedidos da defesa foi para incluir cópia da gravação da reunião do DC e a comissão processante também fez um pedido para o Ministério Público que é a inclusão no processo da quebra do sigilo tefefônico. Estamos no aguardo desses dois pedidos para dar continuidade ao trabalho da comissão”, analisa Dalmolin.

Publicidade

Entrevista no Olhar do Vale

Durante o processo , Eder comentou que não teve a intenção de armar o flagrante. Para o advogado Richard Olivetti, que defende Jocimar, Leite caiu em contradição e pediu para anexar ao processo uma entrevista concedida por ele ao Olhar do Vale onde ele comenta quais foram seus passos até o flagrante. Assista a entrevista aqui:

Exclusivo: Éder Leite fala sobre a decisão de denunciar rachadinha com Jocimar | Olhar do Vale

O que diz Jocimar?

Nesta quinta-feira (25) foi a vez de Jocimar depor. Durante mais de duas horas de fala ele tentou mostrar para a comissão as contradições, segundo ele, entre os depoimentos e as entrevistas na mídia de Rodrigo Voltolini, que é acusado pela defesa ser o grande mentor do flagrante, pois, segundo a defesa, é o principal beneficiado por Jocimar perder o mandato já que ele passará de vereador suplente para vereador titular. Voltolini nega as acusações.

” Eu pude relatar sobre esse projeto diabólico para usurpar o meu mandato. Eu mostrei todas as contradições que o Rodrigo Voltolini teve entre o seu depoimento e entrevistas na imprensa. Desde o começo eles sabiam de tudo. Inclusive mostramos hoje que o Eder comprou uma moto um dia após eu ser preso, diferente o que ele me dizia que não tinha dinheiro nem para comprar um passe de ônibus”, afirma Jocimar.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.