Unifebe Vargas Neni

Defesa Civil promove audiência pública sobre a barragem de Botuverá

Reunião acontece no dia 25 de março às 19h

barragem

Foto: divulgação –

Botuverá – Ocorre na terça-feira, dia 25 de março, às 19h, a Audiência Pública que vai tratar do licenciamento ambiental para a construção da Barragem de Botuverá. A audiência será realizada no salão paroquial da Capela São João Batista, no bairro Ribeirão do Ouro. O local fica cerca de 10 quilômetros do centro de Botuverá, próximo a área que vai receber a Barragem.

A Barragem de Botuverá será responsável pela contenção de 15,7 milhões de metros cúbicos de água. O projeto prevê construção em concreto compactado a rolo. Serão 37,6 metros de altura. A profundidade estimada é de 16,6 metros com 3,5 km de extensão. Será construída a 15 km do centro do município. A vazão máxima estimada do Rio Itajaí Mirim, em Brusque é de 720 m³/s. Com a estrutura pronta cairia para 570m³/s. O Secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, afirma que construção da Barragem faz parte do projeto que começou com o Estudo da JICA, em 2009. “Santa Catarina não pode mais sofrer com as enchentes. Ao longo dos anos temos visto cidades inteiras serem tomadas pelas águas. A Barragem de Botuverá vai ajudar minimizados efeitos desses eventos climáticos,” disse Hobus.

Conforme o Secretário-Adjunto, Rodrigo Moratelli, a obra está orçada em R$ 115 milhões. A construção da barragem está prevista para 2015 e terá uma duração total de aproximadamente 30 meses, até a conclusão. “O principal objetivo é verificar todos os pontos e todas as necessidades para que sejam superadas, para que esse empreendimento fique pronto no prazo previsto, que são 30 meses de obra, que vai propiciar a segurança no que diz respeito as cheias do Vale do Rio Itajaí Mirim,” afirma.

A barragem de Botuverá é primeira pensada com autossuficiência e uso múltiplo do Brasil. De acordo com os estudos de viabilidade, a estrutura poderá ser utiliza para conter cheias, irrigar o solo, gerar energia e se necessário abastecer cidades a jusante, que sofram com escassez de água potável.

A barragem de Botuverá é apenas uma peça do maior investimento previsto em prevenção de Santa Catarina. Além dessa estrutura, mas sete de pequeno porte estão programadas para serem construídas no Alto Vale do Itajaí. As cidades que devem receber as barragens, são: Pouso Redondo, Mirim Doce, Petrolândia, Agrolândia, Braço do Trombudo. Os estudos também apontam que essas estruturas sejam de múltiplo uso, no futuro garantindo benefícios a mais de 160 mil habitantes da Região.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.