Unifebe Vargas TEVAH

Executivo terá que ir conforme a dança se quiser plano aprovado

Reunião entre a administração municipal e os vereadores marcou tentativa de diálogo sobre Plano de Mobilidade e Habitação;

DSCF6181

Foto: Portal ODV – Brusque –

Numa rara demonstração de diálogo entre Executivo e Legislativo, ocorrida durante uma reunião na Câmara de Vereadores de Brusque na tarde desta segunda-feira (1º), o Plano de Mobilidade e Habitação, tão falado nos últimos dias, novamente entrou em discussão. Proposto pela Prefeitura de Brusque, o projeto mais audacioso do segundo mandato do prefeito Paulo Eccel (PT) vem encontrando sérias dificuldades para encontrar apoio dos edis, principalmente os de oposição e os do bloco dissidente.

DSCF6182

Foto: Portal ODV

Apesar de nenhum dos vereadores negar a importância de tal projeto, a principal questão que envolve os pensamentos divergentes é a financeira. De acordo com o líder da bancada oposicionista, Ivan Martins (PSD), apesar das várias explicações feitas pelo executivo, o que vale é estar tudo indicado no papel e, não, apenas na fala. Os legisladores da mesma bancada querem que todos os documentos e, inclusive, uma minuta do contrato do financiamento que será feito para viabilizar as obras seja inclusa no projeto para que, assim, possam votar cientes do que estão fazendo.

A questão do endividamento também foi um dos pontos abordados pelos vereadores contra o governo municipal. Somente nesta ocasião é que ficou claro que o dinheiro emprestado será na importância de R$ 48 milhões. Os outros R$ 48 milhões, de contrapartida do passo municipal, serão as obras do PAC 2, que estão em andamento em Brusque. O banco latino que fará o empréstimo aceite que seja dado este tipo de garantia.

Guilherme Marchewsky (PMDB), por sua vez, foi bem mais ríspido e citou que os projetos foram muito mal colocados. Disse, inclusive, que estão fora de prioridade e que existe coisa mais importante para fazer aqui em Brusque do que parte do Anel Viário e a nova Ponte Willy Hoffmann.

Ao final da reunião, mesmo após longa explanação do diretor-geral do gabinete do Prefeito de Brusque, José Gustavo Halfpap e, também, do diretor do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI), Artur Antunes Pereira, quatro requerimentos que pedem maiores detalhamentos sobre os projetos em questão foram aprovados e serão enviados ao Executivo.

Foi praticamente descartada por todos os vereadores de oposição presentes a votação de tais projetos nas últimas três sessões ordinárias restantes.

Principais obras inclusas no plano de mobilidade e habitação:

  • Parte do anel viário
  • Desafetação de terrenos para construção de 672 moradias populares
  • Construção de uma ponte ligando o Centro I e II

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.