Blumenau registrou mais de 1.300 focos do Aedes aegypti em 2020

dengue blumenau
Foto: Michele Lamin

Os agentes de endemias da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) de Blumenau registraram 1.363 focos com larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya em 2020. O número é bem superior ao mesmo período de 2019, quando 308 focos foram registrados na cidade – o que representa aumento de 342% em relação ao ano anterior.

Nestes primeiros dias de 2021, já foram registrados 31 focos do mosquito. O município possui sete notificações e nenhum caso confirmado da doença. Os bairros Centro, Itoupava Seca, Velha, Victor Konder Vila Nova, Jardim Blumenau, Água Verde e Itoupavazinha são considerados infestados e seguem sendo monitorados. 

A coordenadora do Programa de Combate à Dengue de Blumenau, Eleandra Casani, reforça a importância da colaboração da população para eliminar os focos do mosquito. “Mesmo que a nossa equipe faça inspeções em busca de focos, todos somos responsáveis pela eliminação do mosquito, em nossas casas, locais de trabalho, entorno e jardins. O ovo pode sobreviver até um ano em locais como tampinhas de garrafa e com acúmulo de água”, explica. Por isso, a importância de eliminar possíveis criadouros.

Publicidade

Os agentes da Semus estão sempre identificados com uniforme e crachá com nome e matricula do profissional contratado pela Prefeitura de Blumenau. As fotos de todos os agentes que farão as visitas estão disponíveis no site da Prefeitura.

A Dengue

A dengue é uma doença febril grave causada por um vírus e é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Os principais sintomas da dengue são febre alta, acima de 38.5ºC; dores musculares intensas; dor ao movimentar os olhos; mal estar; falta de apetite; dor de cabeça; manchas vermelhas no corpo.

A forma grave da doença pode levar a morte e inclui sintomas como dor abdominal intensa, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar uma unidade de saúde.

Dicas e cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

– Elimine água parada de todos os recipientes
– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda
– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo
– Mantenha lixeiras tampadas
– Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água
– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água
– Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana
– Mantenha ralos fechados e desentupidos
– Lave recipientes com depósito de água, como potes de comida e água dos animais, com escova ou esponja e detergente, no mínimo uma vez por semana
– Se for necessário que o recipiente fique com água, como no caso de ralos, utilize hipoclorito
– Retire a água acumulada em lajes
– Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados
– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário
– Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.