Unifebe Vargas Câmara

Eleitas as prioridades da Regional de Brusque para 2017

Leia e opine;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brusque – A Assembleia Legislativa de Santa Catarina, por meio da Comissão de Finanças e Tributação e da Coordenadoria do Orçamento Estadual, realizou nesta segunda-feira, 4, na Câmara de Vereadores de Brusque a audiência pública do orçamento regionalizado. Prefeitos, vereadores e comunidade dos municípios que compõem a Agência de Desenvolvimento Regional de Brusque elegeram suas prioridades para 2017.

Foram reconduzidas as três ações do ano passado: reforma e ampliação das escolas EEB João Boos, EEB Osvaldo Reis e Olívia Bastos; implantação da terceira pista na Rodovia Gentil Archer (Brusque – São João Batista); e a abertura e terraplenagem da SC-486, entre – Ourinhos (Botuverá) a Cinema (Vidal Ramos). Elas serão incluídas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano.

Dentro do Plano PluriAnual 2016-2019 (PPA), os dois itens semelhantes que versavam sobre a manutenção de escolas foram unidos, incluindo a reforma da EEB Olívia Bastos a prioridade número um. Com a liberação de um item, os presentes votaram e incluíram no lugar um pedido na área da saúde, para a ampliação do Centro Cirúrgico do Hospital Azambuja. Para o secretário executivo da ADR Brusque, Ewaldo Ristow Filho, as demandas eleitas nas audiências precisam priorizar o macro, onde cada ação atenda toda a Regional, e não apenas um município. “Desta forma conseguimos priorizar ações que beneficiarão de alguma forma a população de todos os municípios da região”, disse Ristow Filho.

As audiências públicas do orçamento regionalizado são realizadas todos os anos. A constituição estadual estabelece o cumprimento de um calendário específico com o intuito de aproximar a sociedade civil organizada dos poderes públicos constituídos.

O que é Plano PluriAnual?

O PPA define as prioridades do governo por um período de quatro anos, e estabelece ligação entre elas e a Lei Orçamentária Anual (LOA). Sua vigência começa no segundo ano de um mandato até o final do primeiro ano do mandato seguinte. A elaboração é feita pela Secretaria de Estado da Fazenda, por intermédio da Diretoria de Planejamento Orçamentário.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.