Unifebe Brusque Vargas Têxtil

Câmara rejeita repúdio a Michel Belli, por brincadeira referente a morte de LHS

Moção retornou para a pauta após pedido de vistas e foi rejeitada pela maioria governista;

Foto: reprodução Facebook -

Foto: reprodução Facebook –

Brusque – A Câmara de Vereadores de Brusque rejeitou, durante sessão legislativa na noite desta terça-feira (26), moção de repúdio contra o atual superintendente interino da Fundação Cultural de Brusque, Michel Belli. Tal moção foi proposta pelo bloco de oposição, após  polêmica envolvendo Michel, através do aplicativo Whats App, quando ele teria brincado com amigos em um grupo privado do aplicativo de comunicação, à época da morte do ex-senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), dizendo que ele teria falecido por Overdose de Viagra.

O proponente, Valmir Ludvig (PT), defendeu que críticas são válidas, mas que a declaração, tida como maldosa pelo petista, ultrapassou os limites do aceitável. “É preciso tomar mais cuidado com as coisas que falamos por aí, quando se trata de pessoas públicas”, disse ele na tribuna, pedindo que sua moção, que voltou à pauta depois de um pedido de vistas pela base governista, fosse aceita.

Marli Leandro (PT) também se declarou favorável, dizendo que se trata de uma reprimenda “pedagógica”, que serviria de exemplo para que algo semelhante não acontecesse novamente.

Ivan Martins (PSD) solicitou que sua bancada votasse contra a proposta de Valmir. Para o pessedista, tal comentário não foi feito em nenhuma página oficial e, sim, em um espaço privado, o que desqualifica qualquer tentativa de tentar repreender o ato de Michel Belli. Martins foi corroborado pelo líder de governo Alessandro Simas (PR). Segundo o republicano, se fosse para punir comentários em redes sociais, deveria ter sido feito o mesmo com Paulo Roberto Eccel, que chamou manifestantes brusquenses de coxinha em seu perfil.

Marli Leandro, em aparte, retrucou. “Vocês também propuseram moção de repúdio na época dessa polêmica do Paulo Eccel. Porque não votar a favor novamente?”. No que Simas disse: “Vocês votaram contra aquela vez, não votaram? Então porque  vamos votar farovavelmente? Dois pesos e duas medidas”, afirmou.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.