Unifebe Vargas Neni TEVAH

Armar-se, sim ou não? Vereadores de Guabiruba discutem assunto

Projeto de lei que revoga estatuto do desarmamento foi o principal assunto abordado na Câmara de Guabiruba, nesta terça;

desarmamento2

Foto: Ilustração – Guabiruba –

A questão polêmica da Lei do Desarmamento foi um dos temas centrais discutidos na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Guabiruba, ocorrida na noite desta terça-feira (2). Na oportunidade, oito vereadores se utilizaram da palavra livre para discutir se é viável ou não o cidadão ter o direito de possuir e portar uma arma, a fim de se defender. A deliberação ocorreu por conta da notícia de que a proposta do deputado federal Rogério Peninha Mendonça (PMDB), que pede a revogação da lei, será votada ainda em 2014.

 O petista Felipe Eilert dos Santos foi taxativo, sendo contra a revisão da lei. Para ele, apesar de se tratar de um projeto a nível federal, isso pode interferir na vida de todos os guabirubenses e, obviamente, todos os brasileiros. Santos se mostrou contra a revogação, por achar que isso só aumentaria os índices da violência no país, além de, na sua visão, facilitar a aquisição de armas e munição. “No meu ponto de vista, a população armada vai ser mais prejudicial que armá-la. O ladrão quando assaltar vai querer logo matar, por pensar que a vítima estará armada. Qualquer titubeada poderá acabar em morte. Será tratar a violência com mais violência”, ressalta o edil.

Nilton Rogério Kohler (DEM), por sua vez, apoiou o pedido de revogação do deputado Peninha. Porém, ressaltou que é imprescindível que a pessoa deva passar por exames psicológicos e demais aferimentos, a fim de que se conceda o direito de se armar para, assim, defender sua família e seu patrimônio. “Desarmou-se o cidadão de bem. Mas o bandido continuou armado. Eles continuam entrando na casa com maior freqüência porque ele sabe que a população não está armada. Ele aponta a arma para sua cabeça, estupra sua mulher e filha e você tem que ficar olhando, sem poder se defender”, afirma.

A votação do PL 3722/12, que revoga o estatuto do desarmamento, está prevista para acontecer no dia 10 de dezembro e cria novas regras para a compra, posse e porte de armas de fogo no Brasil. “A tramitação de um projeto dessa envergadura e complexidade é um verdadeiro jogo de xadrez. O que importa é que estamos na frente, derrubando peça por peça que eles colocam no nosso caminho. Terei a satisfação de, em breve, anunciar a todos vocês que o Estatuto do Desarmamento foi posto a baixo”, afirmou Mendonça, há seis dias, durante sessão da Câmara dos Deputados.

E você, leitor? É a favor ou contra de que a lei do desarmamento seja revogada? Comente! Deixe sua opinião.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.