Unifebe Vargas TEVAH

Sindilojas discute com prefeito de Brusque situação de vendedores ambulantes no município

Sindilojas solicitou que a prefeitura disponibilize um número de telefone ou e-mail para que população possa denunciar os ambulantes irregulares;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brusque – Na tarde de sexta-feira, 10 de fevereiro, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Brusque, Guabiruba e Botuverá (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, e a advogada e consultora jurídica da entidade, Raquel Peron, estiveram reunidos com o prefeito de Brusque, Jonas Paegle. O objetivo do encontro foi discutir a situação dos vendedores ambulantes, que em especial no período de início dos meses se intensificam na cidade.

A iniciativa se deu após diversas reclamações chegarem até o Sindicato, não apenas de comerciantes e empresários, mas da população em geral. “Chegou ao conhecimento do Sindilojas que a maioria dessas pessoas não é proveniente de Brusque, que não possuem alvará de funcionamento e que precisam de fiscalização. A nossa preocupação é que esses vendedores possam colocar os consumidores em risco, porque não se sabe a procedência dos produtos que são vendidos. Não é uma questão somente do comércio, da concorrência desleal que ocorre, mas que algumas vezes pode colocar em risco a população de Brusque”, comentou Gevaerd na oportunidade.

Atuação efetiva

Além disso, o presidente do Sindilojas solicitou que a prefeitura disponibilize um número de telefone ou e-mail para que população possa denunciar os ambulantes e que exista uma atuação contínua e efetiva por parte da poder público municipal na fiscalização dos mesmos, em especial no centro da cidade e imediações. Na oportunidade também foi solicitado que a prefeitura analise a questão dos pedintes e moradores de rua, tema discutido e solicitado também por demais entidades do município. “É uma questão de saúde pública e em respeito a essas pessoas, que elas sejam acolhidas pela prefeitura de alguma forma, retiradas das ruas, atendidas, já que algumas estão em situação de risco”, acrescentou Gevaerd.

Para o prefeito de Brusque, a solicitação é oportuna e será analisada pela prefeitura para ser amenizada. “Já tínhamos tomado conhecimento dessa situação e infelizmente para a nossa cidade esta é uma questão delicada. Somos a décima economia do Estado e muitas pessoas se aproveitam do período de pagamentos para essas atitudes, como pedintes ou em vender produtos e alimentos de qualidade duvidosa, colocando em risco à população. Vamos analisar de forma pontual essa situação, fazer abordagens, e buscar soluções para darmos os encaminhamentos corretos”, detalhou Paegle.

Regularidade

A advogada e consultora jurídica do Sindilojas orienta para que a população fique atenta sempre que houver algum comércio suspeito. “Que as pessoas procurem profissionais e que trabalham com alvarás, e que conheçam a procedência do que elas estão adquirindo ou consumindo. Valorizar o comércio local e denunciar alguma irregularidade é necessário, por isso inclusive fizemos a solicitação de uma central de denúncias, que pode ser uma ferramenta de auxílio na resolução desse problema”, comentou.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.