Unifebe Vargas TEVAH

Menos mosquitos borrachudos em Guabiruba

Novo grupo de moradores adere ao programa de controle ao inseto;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Guabiruba – O mosquito borrachudo é um velho e inconveniente conhecido da população e apesar de não transmitir doenças, sua picada incomoda e irrita a pele, causando coceira e até alergia. Por isso, o município de Guabiruba mantem o Programa de Controle ao Borrachudo, por meio da Secretaria de Agricultura em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri, com o objetivo de diminuir a quantidade do mosquito e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Os interessados em controlar a proliferação do borrachudo na sua localidade, devem fazer como um grupo de moradores do bairro Lageado Alto, que nos últimos dias aderiu ao programa. Primeiro eles entraram em contato com a Secretaria de Agricultura pelo telefone 3354-1219 e manifestaram o interesse em participar. Assim, receberam as instruções sobre o combate ao inseto e precisaram limpar o rio para posterior aplicação do larvicida.

O engenheiro agrônomo da prefeitura, Juliano Piske, explica que após a comunidade realizar a limpeza do rio, a equipe técnica vai até o local calcular a vazão do curso de água. “A gente precisa saber quanto de água passa no ribeirão para definir a quantidade de produto que se aplica e em quais pontos”, relata ele, ressaltando que o produto está sendo fornecido pelo governo estadual.

Em seguida, é realizada a capacitação dos moradores para aplicação do produto, que é biológico. A técnica da Epagri, Adalgisa Berger Belotto, lembra que diferente de algumas espécies de mosquitos (como o Aedes Aegypti) que preferem água limpa e parada para a proliferação, o borrachudo escolhe os locais de água bastante suja para seu criadouro. “O produto não mata o borrachudo, mata a larva que está na água”, enfatiza a técnica.

Ela destaca que não se elimina o borrachudo, mas se consegue eliminar até 50% dele. Atualmente participam do programa moradores do Lageado Alto, Lorena e Alsácia.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.