Unifebe Brusque Vargas Têxtil

Especial – Dias das Mães: Por opção, doação e coração

Conheça a história da mulher que realiza esse papel com filhos, que não foram gerados por ela

DSC04447

Marisa Zierke, 55 anos, está trabalhando há 10 meses como monitora no Lar Sagrada Família, entidade filantrópica destinada a acolher e proteger provisoriamente crianças em situação de vulnerabilidade social na região de Brusque.

Ela sempre sonhou em ter sua própria e uma grande família. Mas, solteira até hoje e com apenas uma irmã e uma sobrinha, ela teve que buscar outra forma de realizar o seu desejo. Nem por isso, sente-se frustrada.

Marisa sempre gostou de crianças e trabalha com elas há mais de 20 anos. E no lar, afirma que não estão nem por dinheiro, nem controlando o tempo. Sempre disponível para atender cerca de dez crianças que residem ali, ela diz que faz isso por amor e está realizada.

mae

Mesmo olhando para eles, e sabendo que não são seus filhos ou que não possuem características suas, a experiência de vida ajuda ela a lhe dar com cada um… “Quando recebo um abraço, um sorriso, um carinho é muito gratificante. Não tenho vontade de sair daqui”, conta ela.

Este é para Marisa seu segundo lar e no dia das mães é com seus filhos “adotivos” que ela vai comemorar a data. “Quando algum vai embora, o coração fica dividido. Por um lado fico feliz que voltaram para a sua família, ou encontraram outra. Por outro, fico preocupada, pensando como serão tratados. Meu maior presente é saber que na gente, eles também enxergam uma mãe”, conclui.

Texto e fotos: Caroline de Souza

mae2

 

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.