Unifebe Vargas Neni TEVAH

Veteranos do Brusque se encontram em jogo festivo

P_20151010_105118

 

A forma física já não é mais a mesma. O ritmo de jogo também se perdeu com o passar dos anos. Ficaram as lembranças e amizade construída durante os anos de 1997 e 1998. A descontração entre os ex-jogadores demostrava que o momento era de alegria e confraternização.

Este foi o clima na manhã deste sábado (10) no Estádio Augusto Bauer, em Brusque. Ex-jogadores do Brusque Futebol Clube, das temporadas 97/98, se reuniram para recordar e confraternizar a campanha que permanece na memória de muitos torcedores.

Embora o amistoso tenha terminado com uma vitória do time de 98 por 2 a 1, o resultado foi o que menos importou para os ex-atletas. Para o ex-goleiro do Brusque, Fabiano Appel, a falta de contato nesse período de 18 anos não diminuiu a amizade que o plantel possuía na época. “Mas tem pessoas que realmente a gente não via desde 97 e 98.Então é muito bom relembrar. É como se não tivesse passado tanto tempo. É bom muito bom rever todos.

O encontro, organizado por Appel, teve início com a criação de um grupo em uma rede social. A intenção era obter notícias sobre os ex-companheiros de time, que não se encontravam há algum tempo. “Tem bastante gente que a gente tinha contato. Muitos estão ainda no meio do futebol, alguns estão aqui na região. Então é muito bom relembrar”, conta.

Os times formados naqueles anos agradaram a torcida de Brusque. A equipe de 1997 garantiu uma vaga na primeira divisão do Catarinense e serviu de base para o ano seguinte. Em 1998, na primeira divisão do estadual, o Brusque Futebol Clube garantiu a terceira colocação. “Acho que em 97 foi formado um grupo muito forte, quando a gente foi campeão da segunda divisão. O grupo foi uma família e a gente fez uma campanha que quase chegamos na final do Catarinense. Um time simples em questão financeira que, realmente, formou-se uma família e fez com que a gente quase chegasse na final do Catarinense”, lembra o ex-goleiro.

O ex-zagueiro do Brusque, Rodrigo, que também defendeu o clube nas campanhas de 97/98, destaca a importância da diretoria na formação do time daqueles anos. “A gente fez um grupo realmente vencedor. Em 97, campeão da segunda divisão e, logo em seguida, na primeira divisão ficar em terceiro colocado. A diretoria soube escolher o grupo e os jogadores”, conta.

 

Texto: Olhar do Vale

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.