Unifebe Vargas PREFEITURA

Déficit do município diminuiu R$ 1 milhão, diz Prefeitura

Situação financeira do município foi abordada durante coletiva de imprensa no Salão Nobre, na manhã desta terça-feira (2);

Foto: Wilson Schmidt Junior -

Foto: Wilson Schmidt Junior –

Brusque – A Prefeitura de Brusque reuniu a imprensa na manhã desta terça-feira (2) para explanar sobre a atual situação financeira do município, passados cerca de 60 dias da gestão interina do prefeito Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD). Na ocasião, o secretário de Orçamento e Gestão, Cristiano Bittencourt, em um discurso de aproximadamente meia hora, explanou sobre as estratégias que a administração municipal vem aplicando para desafogar a máquina pública que, segundo ele, se encontra deficitária.

De acordo com Cristiano, apesar de sobrar recursos na conta da Prefeitura ao final dos meses, a grande maioria do montante já se encontrava comprometido, ou seja, destinado a uma ação específica. Para voltar a ter o equilíbrio orçamentário e financeiro, ressaltou, o governo está cortando gastos considerados ‘supérfluos’. “Estamos atuando principalmente na folha de pagamento, na diminuição do número de cargos efetivos ou comissionados com gratificação, o não comprometimento das receitas vinculadas a área de Saúde e Educação, acarretando na não diminuição de recursos destinados a essas pastas”, explicou.

As gratificações e horas extras passarão por revisão em todo o secretariado do governo municipal. O intuito é verificar se tal destinação do dinheiro público é, ou não, realmente necessária. “A gente acredita que nesses dois meses já houve a diminuição no déficit do município em torno de R$ 1 milhão. A gente está apertando os cintos do município, principalmente na parte administrativa. Em nenhum momento vamos prejudicar os serviços à população”, finalizou.

Além do contingenciamento explicado por Cristiano, Prudêncio ressaltou que trocas de mobiliário e reformas não necessárias em secretarias serão suspensas até que a situação orçamentária de Brusque mude. “Um exemplo é a sede da Secretaria de Trânsito e Mobilidade. Estava previsto uma reforma naquele local avaliada em R$ 700 mil. Não tem como. Ela foi suspensa”.

O chefe interino do Poder Executivo municipal também ressaltou que permanece em contato constante com deputados e senadores catarinenses em busca de verbas parlamentares para executar obras como a reforma do Pavilhão da Fenarreco, do Terminal Urbano e da Rodoviária Municipal.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.