Servidores do Samae vão para hospital após produto químico liberar gás tóxico


IMG_3806

Seis servidores do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE)  foram encaminhados ao hospital, dois deles permanecem internados após a emissão de um gás tóxico durante o manuseio de produtos químicos na sede da autarquia.  O Acidente ocorreu na manhã desta quarta-feira (23) quando o SAMAE recebeu uma entrega de produto químico da empresa Avanex de Palmeira-SC.

O produto deveria ser hipoclorito de sódio, substância usada para desinfecção da água. A entrega foi realizada no período da manhã na Estação de Tratamento de Água Central, sendo três contêineres de mil litros cada. O acidente ocorreu durante o descarregamento do terceiro contêiner, momento em que houve uma reação química com o hipoclorito de sódio já existente nos tanques do SAMAE, causando a liberação de cloro gás (CL2). Seis funcionários do SAMAE que se encontravam nas imediações, além do motorista da empresa e sua esposa, foram atingidos pelo gás e encaminhados  ao Hospital Azambuja pelo Corpo de Bombeiros. Todos encontram-se fora de perigo. Apenas uma funcionária do SAMAE e o motorista do caminhão ainda permanecem em observação neste período da tarde.

Publicidade

De acordo com o diretor-presidente Roberto bolognini, não se sabe se o produto químico contido no terceiro contêiner era realmente Hipoclorito de sódio: “Até o momento não apuramos que tipo de produto químico havia no terceiro contêiner, há evidências que seja um ácido, que reagiu com o hipoclorito havendo uma reação, e desta, houve a liberação do cloro gás, que é um gás muito perigoso. Pelo fato de ser mais denso do que o ar, ele não se dissipa rapidamente, e atinge facilmente as pessoas próximas”, explica o diretor-presidente da Autarquia, Roberto Bolognini.

De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o  SAMAE tomou todas as providências necessárias para neutralizar os efeitos. A área técnica e setor administrativo da Autarquia foram evacuados. “A área mais afetada foi o pátio da área técnica do SAMAE. Porém, houve problemas de odores na vizinhança, como no Parque Leopoldo Moritz, mas sem causar qualquer dano”, esclarece Bolognini.

De acordo com o diretor-presidente, o próximo passo será a identificação do produto químico que causou a reação. O caminhão da Avanex encontra-se retido no SAMAE para perícia.

No período da tarde as atividades da Autarquia foram retomadas normalmente. Porém, o abastecimento de água ficará prejudicado durante o dia, em virtude da paralisação dos trabalhos no período da manhã.

“Lembramos que recentemente o SAMAE promoveu um curso sobre os cuidados no manuseio de clorogás. Por conta disso houve uma ação rápida da equipe, pois praticamente todos os funcionários do SAMAE receberam essas informações e entraram em ação, o que evitou maiores danos”, ressalta Bolognini.

Nós próximos dias a empresa Avanex deverá se manifestar a partir de um laudo técnico. Confira aqui o áudio com a declaração do Diretor-presidente do SAMAE Roberto Bolognin:

O Olhar do Vale conversou com o presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), Paulo Freitag. Ele informou que a Comissão, representada por três membros, fará uma análise sobre o que ocorreu. “Este laudo será feito amanhã (24), pois hoje chegamos ao local e ainda o cheiro estava muito forte. Para se ter uma ideia o gás chegou a queimar a vegetação próxima. A área está isolada.  Após o laudo nós faremos uma análise”, afirma

O presidente da Cipa afirma que os funcionários estavam usando equipamentos de segurança no momento do acidente.

Vítimas que ainda estão internadas no hospital

Simone Bitencourt – idade não divulgada – funcionária do SAMAE – Quadro estável, deve ser liberada ainda hoje.

Getúlio Coelho – idade não divulgada – Quadro estável, deve ser liberado ainda hoje.

Sem informações

O Olhar do Vale entrou em contato com a empresa Avanex, de Palmeiras (SC). Em contato com um dos responsáveis, informou que a empresa está avaliando o que ocorreu e deve se manifestar nos próximos dias, contudo, pediu para o seu nome não ser divulgado nem o cargo que ele ocupa na empresa.

O Olhar do Vale tentou um contato também com o Corpo de Bombeiros de Brusque para saber o nome de todas as vítimas envolvidas no acidente. Estranhamente, foi nos informado que não havia dados sobre a ocorrência, mesmo o corpo de bombeiros ter atendido o fato e a ligação da nossa reportagem ter sido no final da tarde, sendo que o acidente aconteceu na parte da manhã.

Por Anderson Vieira

 

 

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.