Saiba como vai funcionar o Novo Ensino Médio em Santa Catarina

Fotos: Ascom/SED

A partir de fevereiro de 2022, 711 escolas em Santa Catarina terão o Novo Ensino Médio, que inclui carga horária ampliada e currículo mais flexível. O novo modelo será implementado para os alunos da 1ª série do Ensino Médio de todas as escolas, além dos estudantes matriculados nas 120 escolas-piloto catarinenses, que já oferecem a novidade desde 2020.

Além da ampliação da carga horária mínima anual de 800 horas para 1.000 horas, o Novo Ensino Médio altera o modelo de estudo por disciplinas para áreas do conhecimento, ou seja, os conteúdos passarão a ser abordados de forma integrada e mais articulada. A flexibilização também inclui o trabalho com o Projeto de Vida, uma segunda Língua Estrangeira (além do Inglês), os Componentes Curriculares Eletivos e as Trilhas de Aprofundamento.

Entenda as principais mudanças

Publicidade

O Novo Ensino Médio divide o currículo entre uma parte de Formação Geral Básica (máximo de 1.800 mil horas nos três anos) e uma parte flexível (mínimo de 1.200 mil horas nos três anos). Ambos são fundamentados pela Lei 13.415/2017, pelo Currículo Base do Ensino Médio do Território Catarinense e pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que define os direitos e objetivos de aprendizagem.

A Formação Geral Básica prevê quatro áreas do conhecimento: Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. Em Santa Catarina, todos os componentes curriculares, que antes eram desenvolvidos no modelo de disciplinas, como Língua Portuguesa, Geografia e Ciências, por exemplo, estão mantidos na matriz. Já a parte flexível do currículo é composta pelos Itinerários Formativos que, em Santa Catarina, compreendem: Projeto de Vida, Segunda Língua Estrangeira, Componentes Curriculares Eletivos e Trilhas de Aprofundamento.

Como foi a construção do currículo em SC

O Novo Ensino Médio em Santa Catarina foi um trabalho de construção coletiva iniciado ainda em 2018, com a adesão das 120 escolas-piloto. No ano passado, Santa Catarina foi o primeiro estado a ter o Currículo Base do Ensino Médio do Território Catarinense – incluindo o Portfólio de Componentes Curriculares Eletivos e as Trilhas de Aprofundamento – homologado pelo Conselho Estadual de Educação, além de ter sido o primeiro estado a entregar o Plano de Implementação do Novo Ensino Médio ao Ministério da Educação (MEC).

“Queremos que a sala de aula seja um ambiente desejável para o aluno. Estamos preparando espaços para que nossos estudantes se sintam à vontade, com uma carga horária superior àquela existente, para prepará-los para o mundo real. Na escola, ele poderá fazer escolhas alinhadas com seus interesses, junto com os seus professores”, destaca o secretário Luiz Fernando Vampiro.

Para a diretora de Ensino da SED, Maria Tereza Paulo Hermes Cobra, o Novo Ensino Médio busca atender às necessidades e expectativas dos jovens estudantes, fortalecendo seu interesse, engajamento e protagonismo. “Com o Novo Ensino Médio, os estudantes podem mobilizar conhecimentos, habilidades e valores que permitem que eles estejam mais aptos a lidar com desafios pessoais, profissionais, sociais, considerando a quantidade de transformações que marcam a atualidade”.

Como será a distribuição das aulas

Antes da implantação do Novo Ensino Médio, a matriz do currículo era composta por 25 aulas semanais, que estavam distribuídas em cinco aulas a cada dia da semana.
Com a ampliação da carga horária, o estudante poderá ter seis ou até sete aulas em um período ou ainda ter um ou mais dias com período integral (matutino e vespertino). Essa definição varia conforme a matriz escolhida pela escola para atender a carga horária de 1000 horas anuais. Foram ofertadas quatro matrizes curriculares para seleção das escolas:

Matriz A integral (31 horas/aula – 5 aulas diárias + 1 dia em período integral
Matriz A estendida (31 horas/aula – 4 dias com 6 aulas cada + 1 dia com 7 aulas
Matriz B (35 horas/aula – 3 dias com 5 aulas cada + 2 dias em período integral)
Matriz C (44 horas/aula – 3 dias de 10 aulas cada + 2 dias de 7 aulas ou 4 dias de 10 aulas + 1 dia de 4 aulas)

Projeto de Vida

O componente curricular Projeto de Vida permite que os estudantes tenham um período na escola toda semana para falar sobre o futuro. O objetivo é compartilhar vivências e experiências que refletem interesses dos estudantes, desenvolvendo o protagonismo e a responsabilidade sobre suas escolhas futuras. A ideia primordial é a participação dos jovens na construção de um percurso formativo que considere os seus próprios projetos de vida.

De julho a dezembro de 2021, a SED realizou o curso de formação continuada para elaboração dos Roteiros Pedagógicos do Componente Projeto de Vida, com a participação de aproximadamente 150 professores da rede. Esses roteiros estarão disponíveis para a rede em fevereiro deste ano.

Acompanhe relatos de professores e estudantes da rede estadual sobre os resultados alcançados com o Projeto de Vida

Segunda Língua Estrangeira

Em Santa Catarina, além da Língua Inglesa, que se torna obrigatória na Formação Geral Básica do Ensino Médio, a parte flexível do currículo terá uma segunda língua estrangeira: espanhola, alemã ou italiana. O objetivo é ampliar o atendimento de línguas estrangeiras na escola, valorizando a diversidade que constitui a sociedade catarinense. Essa escolha foi feita com base na realidade do contexto da unidade escolar, na disponibilidade de profissionais e no processo de escuta da comunidade. A novidade será oferecida com carga horária de duas horas semanais.

O que são os Componentes Curriculares Eletivos

Os Componentes Curriculares Eletivos buscam tornar a escola um espaço para discussão e vivências sobre os temas atuais e que interessam aos estudantes. Estão divididos entre investigação científica, mediação e intervenção sociocultural, processos criativos e empreendedorismo. Os estudantes podem escolher os componentes eletivos ofertados pela escola que estiverem mais relacionados ao seu projeto de vida.

Alguns exemplos de Componentes Eletivos que estarão disponíveis nas escolas são: Cultura Digital, Pensamento Computacional, Educação Empreendedora, Matemática Financeira, Educação Fiscal, Prática em Libras, Jogos de Raciocínio Lógico Matemático, entre outros.

O documento com os 25 Componentes Curriculares Eletivos, que já estão nas matrizes curriculares das 120 escolas-piloto de Santa Catarina, pode ser acessado no site da SED. Esse portfólio foi construído com a participação de 363 profissionais da rede, envolvendo professores, coordenadores e técnicos. O objetivo foi reunir um grupo multissetorial para construir temáticas e roteiros pedagógicos que sejam inovadores e coloquem os nossos estudantes como protagonistas do seu futuro.

Saiba mais detalhes sobre a criação do portfólio em SC aqui.

Para definir o percurso formativo que será ofertado pela escola, incluindo Componentes Curriculares Eletivos e Trilhas de Aprofundamento, foi considerada a estrutura física da unidade, o quadro de professores e a garantia de escolha dos estudantes. Dessa forma, a escuta diagnóstica da comunidade escolar (professores, estudantes, pais e responsáveis) identificou, além das condições de oferta da escola, o que os estudantes querem aprender.

Acompanhe relatos de alunos das escolas-piloto da rede sobre a experiência bem-sucedida com os componentes curriculares eletivos

Aqui você pode ler os depoimentos de professores das escolas-piloto da rede estadual sobre os resultados e conquistas alcançadas com os componentes curriculares eletivos  

Fotos: Ascom/SED

Entenda as Trilhas de Aprofundamento 

As Trilhas de Aprofundamento são ofertadas a partir da 2ª série do Ensino Médio. De acordo com a matriz curricular, a trilha apresenta 10 aulas semanais ou 15 aulas semanais. O estudante cursa em cada ano duas trilhas de sua escolha, entre as ofertadas pela escola.

Ao todo, são 25 possibilidades, sendo que 14 estão em uma área do conhecimento específica e 11 são integradas entre duas ou mais áreas do conhecimento. Ainda há possibilidade de trilhas ligadas aos 13 Eixos Tecnológicos do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. 

Como explica a gerente de Educação do Ensino Médio e Profissional da SED, Letícia Vieira, as trilhas permitem que o estudante aprofunde seus conhecimentos conforme o seu interesse. “Por exemplo, na 2ª e 3ª série, o estudante poderá aprofundar seus conhecimentos em uma área de conhecimento com a qual se identifica mais, ou ainda, poderá mudar para outra área de conhecimento durante seu processo formativo, caso não se identifique com a área escolhida no primeiro momento”.

Entre os exemplos de Trilhas que serão ofertadas nas escolas da rede estão:
– Área de Matemática e suas Tecnologias: A MATEMÁTICA E O MUNDO DO TRABALHO;
– Área Ciências Humanas e Sociais Aplicadas: OBSERVATÓRIO DA SAÚDE PÚBLICA;
– Área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias: DIÁLOGOS COM NOSSAS CIDADES – MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE;
– Área de Linguagens e suas Tecnologias: CORPOS QUE EXPRESSAM SUAS VOZES;
– Trilha integrada: O CAMPO COMO LUGAR DE VIDAS, DE RELAÇÕES HUMANAS, DE DIREITOS HUMANOS, DE CULTURAS E DE PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.