Risco de incêndio: PROCON apreende fios de cobre fora do padrão em Blumenau

1.293 rolos de fios e cabos elétricos de três marcas com fabricação inadequada foram recolhidos durante a operação.


Na quinta-feira, dia 16, 1.293 rolos de fios e cabos de três marcas, Ultraflex, Totalflex e Wireflex foram recolhidos durante a operação “Instalação Segura” no município. A ação contou com a participação do Procon de Blumenau em parceria com o Procon Estadual e Polícia Civil, que fiscalizou a venda dos produtos nos estabelecimentos comerciais para verificar a qualidade, e se eles atendiam as normas de segurança adequadas ao funcionamento.

De acordo com o coordenador do Procon de Blumenau, André Moura da Cunha, foram observadas diversas irregularidades nos fios e cabos de energia, em especial com as especificiações incorretas de milimetragem. Além disso, foram observadas também a certificação dos produtos, a existência do selo do Inmetro nos fios e cabos e outras informações obrigatórias, incluindo especificações nas próprias embalagens.

“Encontramos diversas irregularidades nos produtos. Uma, que é mais comum neste seguimento, foi a especificação de milimetragem incorreta, no qual o consumidor adquire um cabo com 2,5 milímetros de espessura, imaginando que ele tem a devida especificação que o engenheiro solicita para a construção de uma casa. Os fios verificados não tinham os dados corretos, não sendo adequados ao funcionamento. Além de consumidor mais energia, incide no superaquecimento dos cabos e podem gerar conseqüências desastrosas em uma residência, como incêndio, por exemplo”, explica André.

Publicidadelm MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO BRUSQUE

Qualidade

Durante a operação, foram observadas ainda que alguns cabos apresentaram resistência elétrica superior aos valores máximos admissíveis segundo as normais vigentes do Inmetro, como quantidade insuficiente de cobre, o que pode comprometer o funcionamento elétrico dos aparelhos, superaquecimento e curtos-circuitos. De acordo com André, os cabos verificados não possuíam também o registro obrigatório do Inmetro, ou seja, não passaram pelos ensaios e testes obrigatórios para o uso adequado.

“É importante ressaltar que um cabo elétrico com espessura menor do que o necessário terá maior resistência à passagem da corrente elétrica. Quando muitos aparelhos estão ligados à rede, ficam submetidos a uma voltagem menor do que a que foram projetados. Isso inevitavelmente pode superaquecer os fios”, reforça André.

Durante a operação, foram abertos processos administrativos com autuação, podendo as empresas fabricantes receber multa, além de comunicação junto ao Inmetro para cancelamento da certificação e do registro. De acordo com o Procon de Blumenau, as empresas autuadas têm 10 dias para apresentar defesa, sendo que a multa pode chegar a R$ 6 milhões, conforme estipula a lei federal do consumidor.

André diz ainda que a operação “Instalação Segura” deve prosseguir em outros municípios para impedir a venda de produtos inadequados. “Todos os produtos averiguados em Blumenau já foram recolhidos. Agora será iniciado o inquérito para o descarte dos fios e cabos”.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.