Procissão e missa em honra a Nossa Senhora Aparecida leva multidão de fiéis ao bairro Steffen

Programação iniciou com procissão na rótula do Steffen e seguiu em direção à igreja da comunidade para a Santa Missa


A Paróquia São Luís Gonzaga se reuniu na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, do bairro Steffen, e acolheu familiares, amigos e grupos de outras comunidades que dedicaram a manhã deste sábado, 12 de outubro, Dia das Crianças e de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, para participar, louvar e agradecer a Padroeira do Brasil em uma festa paroquial. A programação teve início com procissão, às 9h, saindo da rótula do Steffen em direção a igreja da comunidade, onde muitos já aguardavam a chegada dos fiéis com a imagem de Nossa Senhora Aparecida que foi acolhida por uma multidão emocionada. Milhares de bandeirinhas em azul e branco deram ainda mais cor a manhã ensolarada de sábado.

A Santa Missa foi celebrada pelo pároco da PSLG, Pe. Diomar Romaniv, e pelo padre Adilson José Colombi, responsável pela Comunidade Nossa Senhora Aparecida, com a participação de membros da comunidade. As crianças foram as primeiras a serem cumprimentadas pelo pároco Pe. Diomar, pois elas também são protagonistas na celebração e na participação da igreja. O manto azul de Maria, sinal de proteção, refúgio e cuidado emocionou ao passar pelos fiéis que não contiveram as lágrimas ao serem tocados por ele. Logo em seguida, a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi acolhida no altar.

O pároco Diomar Romaniv destaca que o ato religioso realizado no bairro Steffen foi uma verdadeira e bonita manifestação de fé que deve sempre ser valorizada, como os exemplos que aconteceram neste dia em várias partes do Brasil, com procissões e missas. “Nossa Senhora consegue arrastar sempre seus filhos e isso é um gesto bonito. Convidamos todas as comunidades para que viessem participar, porque é um sinal de unidade, a mãe é a mesma e os filhos, independente de onde moram, são convidados a estar na casa da Mãe Aparecida e para nossa paróquia aqui é esta casa”, declara.

Publicidade

Pe. Adilson José Colombi lembrou que a imagem de Nossa Senhora estava presente na missa não só por ser a padroeira da comunidade, mas por ser uma presença em toda a paróquia. Todas as comunidades foram apresentadas por ele, na medida em que cada uma delas se manifestava através de seu povo que levantava as mãos.

Emoção e alegria por Maria

A coordenadora da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, Dolores Steffen, reflete que, mesmo participando há anos da organização de celebrações como a deste sábado, a sensação é diferente, seja pela organização ou a emoção que é difícil conter quando a imagem de Maria surge. “As pessoas me perguntam do porquê estou chorando, mas é um dia que me emociono muito. É a comunidade ajudando a preparar tudo, a igreja está toda unida neste dia e isso é muito emocionante para mim, porque não é só a nossa comunidade, mas a paróquia como igreja está reunida aqui, celebrando esse dia com todos os brasileiros em comunhão com toda a igreja, então isso deixa a gente emocionado e feliz em ser católico”, conta. Dolores e seu esposo entraram juntos, conduzindo a imagem de Nossa Senhora Aparecida com o manto sobre os fiéis.

Um dos momentos que também emocionou a igreja foi a encenação do milagre da aparição de Nossa Senhora aos pescadores. O ato ganhou vida através da atuação de crianças que fazem parte da catequese, iniciação e outros movimentos da comunidade, orientadas pelo Ministro da Eucaristia, José Carlos de Souza Vieira. “Através das crianças a gente sente a emoção como se estivéssemos lá naquele momento. Nossa Senhora Aparecida é nossa mãe querida e temos uma paixão muito grande por ela e nos sentimentos muito felizes em fazer e ter sempre as crianças disponíveis e participando conosco, não só deste momento, mas também em outros que fazemos na comunidade”, conta. Logo após a encenação, também através das crianças, foi realizada a coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Iolanda da Cunha conduziu o terço durante a procissão. É ela também que reza o terço antes das missas na comunidade. Faz isso com amor e dedicação. Passou sua vida na comunidade que a viu crescer e ver tantas pessoas juntas neste sábado por Nossa Senhora Aparecida foi muito bonito, para ela que já viu tanto e nunca se cansa de agradecer. “Se para nós é agradável, para Jesus e Maria é muito mais. É muito bom ser católico perseverante”, revela.

Irma Reis, Mariana Reis e Tereza Bonecher formam três gerações que mantém a fé em Nossa Senhora Aparecida. Elas chegaram cedo para fazer parte da procissão. “Chegamos 8h40 lá no trevo para participar. É maravilhoso, isso é nossa fé. Vale a pena persistir, porque são muitas bênçãos e alegrias”, relata.

Unidas pela fé

Rosangela Alves Paganelli Fischer veio do bairro São Luiz para participar da celebração. Mas veio mais cedo, pois queria se juntar as vozes que deram coro aos hinos e orações da procissão. Para ela, que veio acompanhada do esposo Luiz Fischer e sua sogra, Maria Carminatti Fischer, de 88 anos, é uma alegria muito grande se fazer presente, pois foram muitas graças intercedidas por Nossa Senhora, por isso, como católica e cristã, tem muito a agradecer. “A fé do povo não morre, é muito bom ver pessoas saindo de suas casas, deixando seus afazeres, para vir aqui agradecer e louvar Nossa Senhora e seu filho Jesus”, diz.

A missa na comunidade também proporcionou reencontros. Um deles foi entre a Rosangela e a Sueli Ramos. Juntas, agradeceram, louvaram, permitiram as lágrimas e posaram para foto em frente ao altar, ao lado da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Estar ali tinha um significado muito especial para as duas, em especial para Sueli, vitoriosa na luta contra o câncer por duas vezes. “Nossa Senhora é uma mãezinha milagrosa. São muitas graças. Fui curada de dois cânceres, por isso somos vitoriosas. Essa nossa Mãe passa na frente, me ajudou em toda a caminhada e eu jamais vou perder minha fé”, emociona-se.

Detalhes especiais também foram pensados às crianças, que puderem comer e se divertir no salão da igreja após a missa. Cucas caseiras, cachorro-quente, pipoca, churrasco (aquele tradicional de festa de igreja), brinquedos e muito carinho os aguardavam, além de presentes que foram entregues ao final da missa pela Igreja Matriz. O churrasco foi também bastante prestigiado pelos adultos, que fizeram fila para garantir o almoço.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.