” Se pudesse escolher, escolheria o cassado e o com as contas rejeitadas”, provoca Ari Vequi sobre possíveis adversários nas eleições 2020


Prefeitura sem comando, onde o vice aparece mais que o prefeito, dupla desafinada, entre outras citações. O Olhar do Vale procurou o vice-prefeito Ari Vequi para comentar as declarações feitas em relação a administração municipal. Vequi subiu o tom na disputa eleitoral que se aproxima. Confira a entrevista: 

Olhar do Vale: Em relação as entrevista  que nós estamos fazendo aos pré  candidatos a  prefeitura você foi citado em algumas  dessas entrevistas.  Os pré-candidatos afirmaram que a prefeitura está sem comando, que é a casa da mãe Joana, onde todo mundo manda e que o senhor e o prefeito Dr Jonas fazem uma dupla desafinada e que você, como vice, está aparecendo bem mais que o prefeito. Como você analisa essas declarações?

Publicidade

Ari Vequi: Olha,  primeiro, é  tanta declaração citando meu nome e parece-me que  realmente há uma preocupação nessa  minha pré-candidatura  e para mim não é nenhum problema, por que se há uma preocupação é porque eu estou incomodando.  Quando se  fala em administração eles tentam sempre criar uma briga entre mim e o Dr Jonas que não existe. Nós conversamos todos dias e nós  administramos a prefeitura. Desde  o momento que o  ex- prefeito (Ciro Roza) saiu nós criamos um grupo  gestor que administra cidade e se  reúne todas as terças-feira para tomar  decisão e quando esses candidatos  que dizem  que não tem comando, um deles  tanto comando tinha  que acabou sendo cassado (Paulo Eccel) …  O comando  era tão bom  na prefeitura que acabou sendo cassado  e saiu da prefeitura pela porta dos fundos, ele foi cassado durante o seu segundo mandato e nós não tivemos uma  folha de pagamento atrasado não tivemos um greve de servidor público eles tiveram greve nos seus  mandatos,  eles tiveram um montoeira de obra inacabada quando  cita obra na Primeiro de Maio,    não fomos nós que paramos a obra, quem parou foi próprio ex -prefeito quando ele viu que não dava para chegar em lugar nenhum, que o nível da galeria não ia  chegar até final da Primeiro de Maio que então  ficou parada quem fechou  obra foi não foi o prefeito interino ou a gestão do Boca. Quem parou foi próprio governo do PT.  Então quando ele fala da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da santa Terezinha, ele  sabe que está mal localizada aquela unidade pra fazer uma UPA.  A UPA tem que estar próximo do centro da cidade, próximo  hospital da Azambuja que nós vamos transferir todas pessoas do bairro da cidade para ir lá em baixo para receber o primeiro atendimento, se houver caso de emergência tem que transferir  o hospital azambuja. Tem que fazer o que fizemos.  Colocamos para o Hospital Dom Joaquim abrir final de semana, que possamos abrir o hospital todos os dias.  É isso que estamos buscando: tentar resolver aqueles problemas seríssimos. E outra: Vamos nos acompanhar em um turno na Nova Brasília, para ver como estava aquela obra na época do PT. Vamos ao Bairro São Luiz  onde colocou água dentro da igreja.  Fizeram um PAC  e o PAC colocou água.  Dizer que é planejamento  isso? Dizer que essa administração tinha comando? Então nem sei quem estava comandando, tanto é que foi cassado. Quando fala isso, tanto vereador (Paulinho Sestrem) como ex-prefeito, os dois são da mesma linha, os dois da esquerda.  É o mesmo grupo. Se um não for candidato vai ser o outro.  O discurso é igual. Eu quero ver os dois disputar a eleição. O grupo do interino ficou seis meses na prefeitura e foi embora. Qual é a experiencia administrativa que ele tem? para falar da administração do Dr. Jonas e Ari Vequi? Então  não me preocupa em nenhum um momento essa crítica. Quanto a do ex-prefeito (Ciro Roza) que nós ajudou, participou do processo eleitoral, eu quero deixar muito claro essa questão, nós nunca tivemos uma ofensa uma briga pessoal. O que aconteceu foi que durante todo esse processo foi  que quando ele cita a questão de governo, se foi traído ou não,  a traição se compara  ao relacionamento, a traição vem das pessoas que tem um relacionamento com outra pessoa, quando ele coloca, muito claro isso, que nós fomos buscar parceiros, inclusive que entraram na justiça, parceiros que disputaram a eleição contra nós,  quando isso aconteceu o nosso divórcio já era judicial , quem tirou não fomos nós, foi o judicial, a traição não houve, se houvesse traição, não tinha sido judicial. Foi judicial, já estavam separados, vamos dizer assim.  Quando ele fala em dupla e a música, ele conhece muito bem, tanto é que é que a dupla dele está conosco.   Tanto a cantoria como as duplas que fizeram junto com ele na prefeitura. Ele não elegeu o sucessor, nem um momento ele elegeu sucessor,  sendo vice-prefeito, ele foi prefeito três vezes, não elegeu seu vice. E a dupla dele, a última dupla que presenciou os dois mandatos por último dele, é o nosso aliado na prefeitura, presidente do instituto, e o da cantoria é presidente do SAMAE. Então nós não temos duplas desafinada , nós temos um grupo afinado para administrar a cidade . Eu não falava agora pouco pra você, não há pra mim a escolha de candidato para disputar a eleição. Quando o meu partido escolheu para eu ser o candidato, eu não posso escolher adversário, agora eu quero, se pudesse escolher: os dois, o prefeito que foi cassado (Paulo Eccel) e outro que teve agora pouco tempo que as contas rejeitaram (Ciro Roza). Para que possamos mostrar para a cidade, o que vamos nós fazer daqui pra frente , mas com dialogo, mostrando as obras. Por exemplo da Beira Rio, a parte antiga e a parte nova,  que a Beira Rio foi feita na parte antiga e foi elogiada, nossa que obra bonita! Mas como que está sendo feita, com qualidade e com a responsabilidade, que está com uma parte nova. Como é o caso da CODEB que está até hoje, deve quanto? A CODEB deve para fornecedores, bancos, INSS, tudo isso ai é um esqueleto, não tem um esqueleto na lá na praça das esculturas? Onde é observatório ? são vários esqueletos. Nós nunca usamos isso, para criticar, mas sim para tentar resolver . Nós Resolvemos os oito anos que a  Beira Rio ficou parada, voltamos a Beira Rio, voltamos com qualidade, a Limeira outro comparativo, vai la na Limeira e compara, diz pra  chamar o ex- prefeito do PT para também ver essa comparação, olha o que ele fez no PAC da Nova Brasília e olha o que nós fizemos. Olha o que ele fez de calçadas na Santa Terezinha, e olha que fizemos, então é comparar, é isso que eu quero. Ter a oportunidade de enfrentar os dois poder comparar, e ter uma vez por todas tirar dessa cidade rixa, tirar o próprio ódio que existe no meio, ou é um ou é outro. Ou é nós ou eles, eles ou nós, que faz com que a cidade não evolua, eu quero um processo para cidade de evolução, de planejamento, e mostrando que vamos fazer Beira Rio em direção ao Maluche, que nós prometemos, e que fizemos com qualidade. Então é pra isso que se eu for candidato, ser for minha candidatura for confirmada na convenção, eu não sou candidato de mim mesmo, eu sei ser candidato do partido de uma convenção partidária, então se coloca como se fosse a vontade própria de alguém, se eu vier a ser candidato, já sou pré candidato de  um partido, de uma convenção partidária, e eles parecem que estão falando deles próprios. E o PT? só tem um nome, parece que falam como se fossem os donos da situação, nós não, nós vamos ser ser candidatos sim, se a nossa composição, isso eu falei varias vezes, se quem está administrado o governo estiver unido, juntos, em uma pré candidatura única, sempre falei isso, nunca foi diferente, nós temos uma candidatura única do bloco que administra  o município, e administra bem, eu não tenho dúvidas. As contas em dia, não tem salário atrasado, o .13º a primeira parcela paga. Vamos lá conferir a folha de pagamento de 54 para 48 então vamos ver isso não é administrar direito, fala mal de Brasília,  fala mal de Florianópolis, eles não querem admitir que Brusque está bem, que está no caminho certo. Nós estamos pagando as dívidas, pagando a desapropriação dos terrenos, da antiga Fenarreco da antiga família Hoffmann, pagamos uma série de dívidas herdadas e continuamos a pagar. Apraça do centro está custando hoje pra nós a desapropriação, custa mais de 600 mil por mês Que era 100 pessoas que tava naquele fundo criado pelo ex-prefeito Danilo Moritz, que finalizou em 2008 , 2009 e hoje nós temos que retirar do cofre, do dinheiro da população brusquense 600 mil para pagar 110 aposentadoria,  é isso que eu quero discutir na eleição. É isso que vou chamar lá  na frente, eu quero pegar um de cada lado para dizer que  podemos discutir isso, não para voltar ao passado para dizer o que fizeram ou deixaram de fazer, nós queremos evoluir. Nós que continuamos o PAC, e quando falo do PAC falo do governo do PT,  quando eu falo da Beira Rio, falo do  ex – prefeito (Ciro Roza) então não tem dúvida de quando eu falo dessas obras ão paramos por isso, continuamos, buscamos aperfeiçoar, tanto PAC e a Beira Rio eu confirmo garanto pra você que são mais bem feitas e com melhor qualidade do que foi feita no passado, não tem dúvida só visitar.  Se eles quiserem visitar eu levo, pra ver a qualidade de obra que estamos fazendo na Santa Terezinha das Beira Rio, qualidade do PAC que fizemos na Nova Brasília. Então dizer que não tenha gestão, nós temos gente formada em gestão na prefeitura hoje, nós temos um grupo que gere a prefeitura não e uma única pessoa, que se for uma única não é a liberdade que o Dr. Jonas hoje deu. E eu não sei porque se preocupam tanto com a minha provável candidatura,  parece até que eles querem ter o próprio candidato, que querem escolher o candidato do nosso bloco,  parece  que querem escolher o candidato nosso, então  eu não tenho preocupação contra isso. Eu quero realmente poder ter esse embate de ideias, pra mostrar que Brusque realmente precisa avançar, vamos focar no futuro e esquecer o passado. vamos esquecer que um foi esse, e outro foi aquele, os dois no momento vou repetir e faço questão que se publique isso: Os dois no momento que estiveram no poder municipal eu imagino que fizeram o melhor para cidade, no momento que estavam administrando, lutaram para o melhor para cidade.  É isso que o Dr. Jonas está fazendo hoje, ninguém que ser prefeito para fazer o pior para cidade. Então o trabalho que eles fizeram, tanto um como o outro tem que ser reconhecido,  mas o mesmo tempo não dá  pra ficar essa picuinha a vida toda, um querendo alfinetar o outro. Então acho que a cidade tem que avançar, ir pra frente, cada um no momento que estiveram. Agora passou, o mundo mudou, a tecnologia avançou o mundo mudou e o Brasil, Santa Catarina, mudou então nós queremos avançar, é pra isso eu espero que discurso, não seja o que teve semana passada, por que não vieram defender suas obras? defender suas ideias? O que apresenta um candidatura da esquerda? O que apresenta um candidatura do ex-prefeito? isso é importante dizer. Agora vir atacar o vice prefeito que é um possível candidato, eu ainda não disse que sou candidato, disse apenas que sou pré-candidato do partido do MDB. Eu quero buscar união, até o meu último momento, essa questão de unir essa comunicação e não de um nome só. A nossa coligação é e formada em mais de cinco partidos,  que dão sustentação a câmara. E eu quero buscar ser esse nome, se não puder ser beleza. Se não puder o partido apresenta outro nome, eu já disse que pra vice eu não vou, mas é essa condição que eu tenho hoje referente ao município, mas sem nenhuma mágoa de ringue, sem levar ódio de ninguém, apenas mostrar clareza, o que eles fizeram e o que nós estamos fazendo. 

 

 Olhar do Vale: Quanto a proximidade que o PT teve com o MDB no passado. O ex-prefeito Paulo Eccel (PT) afirmou que conversaria com os partidos que fizeram base no governo do PT. Você já admitiu pra mim que não tem conversa com o PT, mas vou perguntar de novo: Tem conversa?

Ari Vequi: Não tem conversa com PT! Não há debate com partido de esquerda, pelo contrário, nós estamos aliados a direita, ao presidente Bolsonaro, ao governador Moisés. Você pode ver o MDB em nível Brasil, nosso novo grupo que está dominando o PMDB estadual, que já era antigo, o MDB de Santa Catarina é um partido com representação com pessoas sérias, não tem nada a ver com o MDB do Norte, Nordeste, mesmo que o MDB do norte foi expulso do MDB nacional agora, então  a nossa linha é de direita, de condicionar apoio ao presidente Bolsonaro, naquilo que o presidente quiser de bem, nós temos ministros no governo Bolsonaro, convidado pelo proprio Bolsonaro, não é indicação do partido, temos o atual lider do governo federal é do PMDB, escolhido pelo presidente. Na Assembléia legislativa também, a grande maioria dos nossos deputados apoiam o Moisés naquilo que é bom para Santa Catarina. Essa é a nossa maneira, mas nós não iremos de maneira nenhuma se aliar em Brusque quando eu for o pré-candidato do partido e o grupo que está dominando o partido hoje, que é o Seu Valdir Wilke, com esse grupo não tem conversa com o PT.  Esse grupo perdeu a convenção quando o PMDB decidiu apoiar o Paulo, nós fomos minoria, nós admitimos essa minoria dentro do partido e continuamos até conseguir tomar dessa maioria que era na época do PT. Eles conseguiram fazer maioria dentro do PMDB, infelizmente fomos derrotados. O Seu Wilke que foi candidato naquele momento, foi derrotado. Depois assumiu a presidência do PMDB.

Olhar do Vale: O ex-prefeito Ciro Roza  foi expulso da prefeitura?

Ari Vequi: O ex-prefeito Ciro Roza depois de duas decisões judiciais,a última antes dele receber a intimação, ele pediu pra sair. Tem a carta lá, só pegar nos arquivos da prefeitura, tá a carta lá. Ele mesmo coloca lá, dizendo que não era pra criar constrangimento para o prefeito. A carta assinada por ele.O que não houve é o pedido pra ele voltar,  ai ele tem razão, mas quem pediu pra sair foi ele. Ele não foi convidado a voltar, é verdade. Agora se você levar por esse lado, continuando nessa eleição, estava limpo. Quando me venderam o peixe, vamos dizer assim,quando me convidaram a ser vice, estava limpo. E aí eu fui cassado junto na ação judicial, a decisão que dava a cassação, dava a minha também. Ai eles viram e foi devolvido a minha candidatura, eles viram que eu não tinha nada, e disseram agora continua a mesma história. Eu não fui então, só ele foi. Eu vim para um projeto, construído a nível de estado, e ele me entregou o que prometeu? Não, entregou a vice, mas a vice com o Dr. Jonas já. Agora,  eu nem fui candidato a deputado e nem cobrei isso dele. Claro, respeitei, porque ele nos apoiou, fez todo trabalho e aí aconteceu o episódio que a justiça retirou o direito de disputar a eleição, de ficar como secretário. Eu respeito ele, porque ele tem uma ficha de trabalho prestado a sociedade, como eu digo que eu respeito a candidatura dele. Agora não sei porque ele não quer a minha? Não sei o que atrapalha a minha candidatura pra ele. Eu não sei, ele que tem que dizer. A minha candidatura, assim como a dele também é legítima. Nenhuma constituição tá dito que quem tem que ser candidato é o João ou Pedro, a gente decide nas convenções, ali eles escolhem os candidatos. Ele coloca de uma forma como se eu deveria esperar mais quatro anos para ser candidato, onde está escrito isso? Então eu não tenho nenhuma preocupação. Quem pediu pra sair foi ele, em cima de uma ação judicial, ele não se indispôs a saída, isso é verdade e ele não foi apenas convidado a retornar, isso é verdade, ninguém mais procurou ele. Ele colocou se a disposição, dizendo que se precisasse dele estava lá, e ninguém mais procurou ele porque o grupo político já tinha se montado, um grupo de estratégia que montou um grupo gestor. E esse grupo continua até hoje no comando da administração, não é uma pessoa única.Tem lá, todas as terças-feiras, todas as decisões do município passam por esse grupo. Para encaminhar um projeto para câmara, por exemplo vamos buscar um empréstimo, esse grupo se reúne e decide. Foi assim, agora com  o empréstimo de R$ 10 mi,  quer dizer que foi o prefeito? Foi o Ari Vequi? Foi o Molina, foi a Érica? Não. Foi o grupo no todo. Precisava o que, o dinheiro para fazer a escola, opa, vamos arrumar dinheiro para fazer a escola, pegamos dinheiro do Filipe.
É um grupo que decidiu, não é o Dr. Jonas que chegou e disse, precisa de dez milhões pra tapar buraco. É um grupo que decidiu. Isso é salutar em qualquer governo, o governo federal se reúne semanalmente, o presidente da república e os principais ministros, se reunem lá e decidem as politicas nacionais, como o governo do estado da mesma forma, mantem um grupo gestor formado. É essa maneira hoje diferente, de não estar sendo administrado só por uma pessoa, mais quando falam isso, isso trouxe benefício para o municipio. Hoje o municipio está com as contas em dia, nós temos pagamentos dos fornecedores, 13º salário já foi pago. Passamos três anos e as duas contas aprovadas, tem gente que não está. O Dr. Jonas de 2017 e 2018 já aprovada pelo tribunal de contas e continuamos com dinheiro no banco, não dinheiro para jogar fora ou dinheiro sobrando, mas dinheiro para pagar os compromissos todos os meses já quitando 13º e nenhuma criança ficou pra fora por causa de greve e nenhum posto de saúde por causa de greve. Conseguimos manter os trabalhos básicos em um momento que o país estava em crise. Mas hoje já está começando a crescer, já esta melhorando a economia, eu não tenho nenhuma preoucupação em dizer que se eu for o escolhido e continuar esse processo, a maneira de administrar vai ser através do grupo gestor, não vou ser um prefeito ditador, que só ele da as ordens e é o soberano, vai ser com um grupo a mesma coisa, não vou mudar. Se a pessoa me perguntar amanhã na rua, vou continuar agindo dessa forma, que eu acho que foi um modelo que deu certo. Nós só executamos obras que temos dinheiros, nós não fomos aventureiros. Não há nenhuma preoucupação em assumir isso para comunidade, nós vamos ter um grupo gestor e não vou ser um prefeito ditador. Se assim eu for escolhido e se assim a população achar.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.