Hospital Azambuja inicia projeto de compras através de licitação

Modalidade visa maior segurança e economia ao hospital, e conta com a parceria do Observatório Social de Brusque

tag saúde brusque

O Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux – Hospital Azambuja deu início à modalidade de compra de produtos e insumos através de processo licitatório. A decisão passou pela análise da diretoria do Azambuja, que depois de uma experiência no ano de 2020, percebeu os benefícios e segurança que as compras por licitação, devem trazer ao hospital.

“Tivemos uma experiência com o Observatório Social de Brusque (OSB) no ano passado, quando foi destinado um recurso do Fórum da Comarca para aquisição de três monitores multiparamétricos. Na oportunidade, precisamos fazer uma licitação e o OSB entrou como apoio e nos ajudou a criar esse processo licitatório, uma modalidade de compra que nos trouxe muita segurança”, comenta o gestor hospitalar, Gilberto Bastiani.

Com o resultado positivo dessa compra, o hospital fez estudos quanto à possibilidade de adquirir outros materiais nessa modalidade.  Ao mesmo tempo, firmou uma parceria com o Observatório Social, para auxílio nos processos licitatórios. “Iniciamos neste mês nossa primeira compra de alimentos e nutrição e a partir disso vamos comprar outros materiais, inclusive medicamentos”, projeta Bastiani.

Publicidade

O gestor hospitalar explica que por ser uma instituição privada, o hospital não tem nenhuma obrigação legal em adquirir bens e produtos por licitação. Porém, o objetivo maior é trazer mais transparência, segurança jurídica para aquisição de todos os insumos, fornecedores com suas obrigações fiscais em dia, acesso a fornecedores de todo o Brasil, e propostas mais vantajosas, que refletirão em uma economia ao Azambuja. “A compra por licitação traz maior credibilidade, pois é algo juridicamente oficial. Além disso, traz mais segurança ao hospital, com a garantia de que o produto será entregue dentro do prazo e no preço combinado”, avalia.

De acordo com o consultor de Licitações e Contratos do Observatório Social de Brusque, Samuel Patissi, na prática o OSB é chamado quando o hospital necessita fazer uma determinada compra. A partir desta necessidade, é aberto um processo licitatório, colocado à disposição de todas as empresas que desejam participar. Logo após homologa-se a melhor proposta e é iniciado o fornecimento do bem ou serviço dentro dos critérios pactuados em contrato. “A partir da aplicação de uma metodologia de compra, o hospital, além de fazer uma compra muito segura e transparente, terá a garantia de que conseguirá as melhores vantagens nas suas compras. Com isto, além dos benefícios elencados, a sociedade tem acesso à informação e as empresas têm a oportunidade de oferecer seus produtos e serviços”, enfatiza.

Os editais serão lançados nacionalmente, ou seja, qualquer empresa do país apta a fornecer ao hospital, poderá participar. “Se a empresa atender as regras do edital, ela terá garantia de igualdade de participação entre qualquer participante”, explica Patissi.

Todas as especificações dos produtos e insumos serão colocadas nos editais de licitação e os contratos devem ser feitos pelo prazo de 12 meses. O gestor hospitalar comenta ainda que a comunidade poderá acompanhar as etapas, no próprio site do hospital, garantindo maior transparência aos processos de compra.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.
Olhar do Vale

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.