Golpe: empresa estaria fraudando recarga de extintores

tag saúde brusque

 bombeiros

Imagine você, possuidor de extintores de incêndio em sua casa, estabelecimento comercial ou afim, contratar uma determinada empresa para recarregar seus extintores de incêndio e esta, ao levar o equipamento, apenas trocar o selo da garantia, sem ao menos abrir o artefato para fazer o que foi acertado. Fraude pura, não é?

Pois era bem isso o que estava acontecendo em Guabiruba, no episódio da semana do município vizinho a Brusque. Além disso, segundo o cabo BM Juliano Schlindwein, já não bastasse, alguém dessa mesma empresa estava se passando por ele e, também, pelo sargento BM Carlos Henrique de Andrade (comandante do pelotão), ligando para variados estabelecimentos, afirmando que estes precisavam adquirir mais extintores.

Publicidade

Aí era fácil. Algum tempo depois, era só alguém da empresa ir até ao local e oferecer estes serviços. Ocorre que, depois da veiculação do alerta quanto a este fato nas mídias locais, o fato da recarga apareceu. “A empresa que está sendo paga para efetuar a recarga leva o extintor, troca apenas o selo e devolve o equipamento como se ele tivesse sido manuseado e o reteste feito”, reforça.

A fraude fica clara quando se observa o fato de que o selo tem que ser certificado pelo Inmetro. Neste caso, era um selo “fajuto”, por vezes colado à base de fita adesiva. Além disso, o anel de recarga e lacre recebe uma cor padrão a cada ano que se passa. Os extintores voltavam com os mesmos lacres.

Um representante da possível empresa fraudadora esteve nos bombeiros de Guabiruba, nesta manhã, junto de outros empresários lesados. Ele alega que tais extintores estavam emprestados para as empresas até que os de posse dos clientes fossem devidamente recarregados. O que não é verdade, segundo os bombeiros, haja vista que cada cilindro sai com uma marca de fábrica, uma espécie de “numeração de chassi”, onde se observa que se tratava dos mesmos levados.

Sobre o fato de que alguém possa ter se passado pelos militares, a empresa guabirubense nega que tenha sido um de seus funcionários. O cabo BM Juliano Schlindwein registrará, nesta quarta-feira (6), um boletim de ocorrência, formalizando a denúncia.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.
Olhar do Vale

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.