MPSC apura aumento excessivo na conta de luz na fatura de janeiro


O Ministério Público de Santa Catarina apura a suposta cobrança abusiva na conta de luz dos consumidores catarinenses. O Promotor de Justiça Eduardo Paladino, titular da 29ª Promotoria de Justiça da Capital, instaurou, nesta quinta-feira ( 24/1), um inquérito civil para investigar os motivos do aumento excessivo na fatura do mês de janeiro. A apuração tem abrangência estadual.

O Promotor de Justiça já encaminhou nesta sexta-feira (25/1) um ofício para a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) requisitando esclarecimentos acerca da situação; e agendou, para segunda-feira (28/1), às 14 horas, uma reunião com os representantes do Procon estadual, do Procon de Florianópolis e da Secretaria Municipal de defesa do Consumidor da Capital para alinhar uma forma de investigação conjunta.

“Há casos em que a conta triplicou de valor. É evidente que a fatura aumenta naturalmente nesse período, mas é preciso analisar por que esse aumento exagerado”, explica Paladino, que não descarta a possibilidade de uma perícia por amostragem em alguns medidores. A perícia pode ser feita pelos técnicos da própria Celesc ou pelo Centro de Apoio Operacional Técnico (CAT) do MPSC.

Publicidade

Segundo Paladino, os consumidores não estão acreditando no registro. ”A conta é matemática, mas temos que verificar se o equipamento registou o real consumo. Por isso, temos que buscar essas informações tecnicamente”, explica o Promotor de Justiça, que vem recebendo diariamente uma série de reclamações de consumidores.

Notícias de Brusque e Região.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.