Governador assina ordem de serviço para elaboração de projetos para implantação de ferrovias em Santa Catarina

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Santa Catarina deu passos importantes na infraestrutura ferroviária e aeroviária. Na noite desta quinta-feira, 27, o governador Carlos Moisés assinou a ordem de serviço para a execução de dois projetos para novas ferrovias e assinou o contrato para a realização de estudos para um plano de ações voltado ao fortalecimento dos aeródromos do estado. Os investimentos nos dois modais têm o objetivo de alavancar o desenvolvimento, melhorar a logística, o transporte e o escoamento da produção.

“A infraestrutura é uma das principais bandeiras deste governo porque sabemos que ela é essencial para quem produz, gera desenvolvimento, melhora a vida das pessoas. É fundamental que cada catarinense seja fiscal das ações que estamos implementando para resolver os gargalos da infraesteutura catarinense, para que elas sejam instrumento de uma política de Estado e não de um governo”, frisa Carlos Moisés.

Ferrovias

No modal ferroviário serão executados dois projetos: um para a construção do Corredor Ferroviário, entre Chapecó e Correia Pinto; e outro, entre Itajaí e Araquari, no Litoral Norte, a Ferrovia Interportos. Nos dois projetos serão investidos R$ 32 milhões. No primeiro momento, o foco são os traçados que interligam ao chamado Tronco Sul, chegando a São Paulo e ao Centro-Oeste do Brasil.

Publicidade

“Estamos colocando força de trabalho em uma demanda antiga, bastante debatida, mas, sem ações, de fato. Com as ordens de serviço assinadas para os projetos destes dois trechos vamos conectar de um lado, o nosso complexo portuário mais importante é de outro, a produção do agronegócio à malha ferroviária federal, com importantes ganhos para a logística de quem produz”, frisa o secretário de Estado de Infraestrhtura e Mobilidade, Thiago Vieira.

Corredor Ferroviário Catarinense

O corredor ferroviário catarinense terá 319 km e fará a ligação de Correia Pinto — no Planalto Catarinense — com Chapecó, auxiliando no escoamento da produção do agronegócio. A projeção é que, pelos trilhos, poderão ser transportados até 20 milhões de toneladas por ano, abastecendo toda a agroindústria catarinense com grãos e insumos agrícolas e industriais. A rota também será uma via de exportação dos produtos catarinenses para o mercado do Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, com uma estimativa de custo menor, comparado ao transporte rodoviário.

Ferrovia Interportos

A Ferrovia Interportos terá 62 quilômetros e ligará Itajaí, o segundo maior complexo portuário do país a Araquari, no Norte do Estado. Atualmente, os portos de Santa Catarina movimentam mais de 40 milhões de toneladas, sendo 60% em contêineres. Desse volume, apenas 3% são distribuídos por ferrovias. De acordo com os técnicos da Secretaria de Estado de Infraesteutur e Mobilidade, a Ferrovia Interportos poderá transportar até 15 milhões de toneladas por ano, com menor custo e alívio do tráfego nas rodovias.

O projeto total das ferrovias prevê a utilização de 745 quilômetros já existentes, a recuperação de 594 quilômetros e a construção de outros 770, alcançando uma malha ferroviária estadual de 2.109 quilômetros. Para atender a nova malha ferroviária catarinense serão construídos quatro terminais rodoferroviários e um rodoviário.

Plano Aeroviário de Santa Catarina

Depois de mais de uma década sem ações efetivas de planejamento, o Governo do Estado de Santa Catarina volta-se à construção de um Planejamento Aeroviário sólido e focado no potencial regional. O PAE tem por objetivo analisar o impacto do desenvolvimento socioeconômico regional e do transporte aéreo na atual infraestrutura dos aeródromos catarinenses.

O Plano tem a finalidade de elaborar políticas públicas de curto, médio e longo prazo, voltadas para o sistema aeroviário, incluindo estudos para implantação de novos complexos aeroportuários. O estudo contempla, por exemplo, os prognósticos de demanda dos aeroportos, regiões de influência, possibilidades de saturação, quantificação de recursos financeiros para implementação da infraestrutura por meio de um programa de investimentos com diretrizes para o desenvolvimento no Novo Sistema Aeroviário Estadual.

O contrato para a realização dos estudos foi firmado entre a SIE, a UFSC/Labtrans e FAPEU, com investimento de R$ 1,47 milhão. “O Plano Aeroviário vai destacar a vocação de cada região e apontar um norte para o desenvolvimento da malha aeroviária de Santa Catarina”, pontua Vieira. O secretário aponta que na atual gestão, oito aeroportos que estavam com problemas na operação foram regularizados.

Acompanharam o ato na noite desta quinta-feira, 27, na Casa d’Agronômica, secretários de estado e demais representantes de entidades ligadas à indústria, transporte, comércio e logística.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.