Escola Amiga das Abelhas: projeto está entre os cinco melhores de Congresso Ambiental


O projeto “Escola Amiga das Abelhas”, da Escola de Campo Edith Krieger Zabel, foi apresentado no Congresso Nacional On-line de Conservação e Educação Ambiental (Coneamb), que ocorreu entre os dias 9 e 11 de agosto. Na oportunidade o projeto foi selecionado entre os cinco melhores do evento.

Participaram do congresso, para apresentar o projeto, a diretora da instituição, Elaine Petermann e Viviane Michele Lemes, responsável pela Educação Ambiental na Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema). “O Congresso era um nível bem científico com palestrantes doutores e PHD’s de todo Brasil. Foi uma experiência ótima para ambas, sem contar que levamos o nome de Brusque e também o reconhecimento para escola pública”, destaca Viviane.

Sobre o projeto Escola Amiga das Abelhas

Publicidade

O projeto iniciou a partir da observação de um caninho comprido e cheio de insetos voando no muro de pedras da escola, o que causou interesse nos professores e alunos, e atualmente a escola conta com cinco espécies de abelhas nativas.

O projeto é desenvolvido com alunos do berçário ao 5º ano do Ensino Fundamental, turmas multisseriadas. Durante as aulas são abordadas questões sobre o importante papel das abelhas para a natureza, a anatomia da abelha e toda a sua evolução, diferença de apicultor e meliponicultor, buscando criar situações de vivência e que possam experienciar o respeito pelos seres da natureza, tais como as abelhas sem ferrão, as abelhas solitárias e as africanas.

O foco principal das ações realizadas na escola é a apresentação das abelhas nativas e aspectos ambientais que afetam a vida delas, como: poluição, uso de agrotóxicos e desmatamento, compreender o funcionamento da colmeia, e a função que cada abelha exerce dentro dela. As atividades utilizam recursos audiovisuais e pedagógicos que promovem o aumento do interesse dos alunos pelos temas abordados.

O Brasil abriga 407 espécies de abelhas nativas, conhecidas popularmente como “abelhas indígenas” ou “sem ferrão”, sendo o país com a maior diversidade delas. “A redução significativa da população das abelhas nos últimos anos, deve-se, principalmente, ao uso excessivo de agrotóxicos na agricultura, a destruição da natureza e alterações climáticas. O desconhecimento sobre a biologia das abelhas e sua importância para a sociedade também contribuem para o desaparecimento de muitas espécies nativas”, analisa.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

A Fundema também está engajada nas questões relacionadas à proteção das abelhas. Como signatários dos Objetivos do Desenvolvimento Social, esta questão envolve diretamente dois objetivos: Ação Contra a Mudança Global do Clima e Vida Terrestre. Indiretamente está ligada a Fome Zero e Agricultura Sustentável, além de Boa Saúde e Bem-Estar. Além disso, como o tema é tratado com crianças na educação ambiental, inclui mais um dos ODS: Educação de Qualidade.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.