Em nota, Havan afirma que repudia discriminação, mas que não retirará patrocínio do Brusque

Fotos: Lucas Gabriel Cardoso/Brusque FC

A rede de lojas de departamentos Havan, principal patrocinadora do Brusque Futebol Clube, finalmente se manifestou sobre os atos de racismo ocorrido no último sábado (28) em partida válida pelo Campeonato Brasileiro Série B entre Brusque e Londrina no Augusto Bauer de Brusque.

Por nota, o gerente de novos negócios da rede e filho do dono da Havan, Lucas Hang, afirma que a empresa “repudia veementemente qualquer forma de discriminação e aguarda desdobramentos do caso”, mas que não retirará o patrocínio do clube “por entender que mais de 30 jogadores, além de comissão técnica e colaboradores que dependem dos salários advindos do trabalho prestado ao Brusque FC para garantir o sustento de seus familiares”.

Confira a nota na íntegra:

Publicidadelm MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO BRUSQUE

Sobre o episódio envolvendo o jogador Celsinho, do Londrina e o Brusque Futebol Clube, a Havan enfatiza que repudia veementemente qualquer forma de discriminação e está aguardando os desdobramentos do caso. A varejista também informa que manterá o patrocínio ao clube, visto que mais de 30 jogadores, além da comissão técnica e demais colaboradores dependem dos seus salários, advindos do trabalho prestado ao Brusque F.C. para garantir o sustento das suas famílias e acreditamos que seria injusto prejudicá-los”. 


Lucas Hang, gerente de novos negócios e patrocínios da Havan

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.