Diagnosticada precocemente, servidora do Samae conta vitória sobre o câncer


A vida, por vezes, nos prega peças difíceis de compreender. Que o diga Jussara Petermann, servidora efetiva do Samae Brusque. Em outubro de 2006, com 24 anos de idade e com um bebê recém-nascido, a mulher foi diagnosticada com um câncer maligno no ovário. A primeira reação, como não poderia ser diferente, foi de medo, não só pela sua vida, mas também pela ideia de não ver seu filho crescer.

Jussara explica que a identificação da doença se deu por um ultrassom transvaginal, geralmente utilizado para o acompanhamento de gestações e, não necessariamente, para exames preventivos.

“Eu era muito jovem. Fiquei sem chão. Não tinha muito conhecimento sobre o assunto. Fui encaminhada diretamente para o oncologista em Blumenau”, conta a servidora. “Ele me deu duas alternativas: uma era fazer a histerectomia, que consiste na retirada de trompas e ovários. A outra era deixar alguma coisa para o caso de eu querer engravidar novamente no futuro”, ressalta.

Publicidade

A servidora nos conta que a sua saúde e o fato de querer ser protagonista na educação e no crescimento do seu filho fizeram ela tomar uma decisão rápida. “Eu não pensei duas vezes, mas mesmo assim foi uma decisão difícil. Inclusive, o doutor me disse que teria que começar com a quimioterapia logo depois da cirurgia, que meu cabelo iria cair e tudo o mais”, confidencia.

Ao mesmo tempo em que a notícia inicial lhe chocou, a surpresa positiva veio logo após a cirurgia, considerada um sucesso. Por conta, dentre outras coisas, do diagnóstico precoce, a quimioterapia acabou não sendo necessária. Passados 16 anos, Jussara vive uma vida completamente normal e tranquila ao lado de sua família e, principalmente, de seu filho adolescente.

“Eu hoje vejo que foi um milagre o que aconteceu na minha vida, principalmente por ter descoberto no início. Até costumo brincar com minhas amigas para pedirem esse ultrassom quando forem fazer os preventivos (…) o recado que eu deixo para as mulheres é que invistam em si. A gente tem nossa correria do dia a dia, tem marido, tem casa, tem filho, e por vezes acabamos ficando para trás. Então, amem-se mais, cuidem-se”, finaliza.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.