Coronavírus em SC: Matriz de Risco aponta 12 regiões no nível moderado


Mantendo pela quinta semana consecutiva uma tendência de redução das taxas de transmissão e do registro de casos graves e mortes por coronavírus por todo o estado, a Matriz de Risco Potencial Regionalizado divulgada no dia 06 de novembro aponta 12 regiões no nível moderado (cor azul) e cinco regiões como risco potencial alto (cor amarela).

Houve melhora nos indicadores das regiões do Alto Uruguai Catarinense, Médio Vale do Itajaí, Oeste e Planalto Norte, que na semana anterior estavam classificadas como nível alto (amarelo), e passaram a ser classificadas como  risco moderado. Ela se juntam, agora, as regiões do Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Extremo Sul, Grande Florianópolis, Laguna, Meio Oeste e Vale do Itapocu no nível azul.

Houve uma piora nos indicadores da região da Serra Catarinense, observados a partir do aumento na detecção de casos novos na semana e que provocaram piora nos indicadores das dimensões transmissibilidade e monitoramento. Com isso, a região passa a ser classificada no nível alto (amarelo), juntamente com as regiões do Extremo Oeste, Foz do Rio Itajaí, Nordeste e Xanxerê.

Publicidadelm MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO BRUSQUE

Vacinação contra Covid-19 avança em todo o Estado

Nesta semana, Santa Catarina alcançou o índice de 60% da população catarinense completamente imunizada, tendo recebido as duas doses ou a dose única da vacina contra a Covid-19. Com mais de 10,3 milhões de doses aplicadas em todo o estado, o avanço na vacinação tem sido o principal responsável pela redução no nível de risco da Covid-19 em todas as regiões.

“Cada cidadão catarinense que opta por receber as duas doses da vacina contra a Covid-19 contribui para que todos nós possamos retomar com segurança as atividades que paramos de fazer por causa da pandemia, como passear, almoçar fora de casa, ir para cinema, assistir a um jogo de seu time de futebol na arquibancada, viajar para conhecer novos lugares e confraternizar com parentes e amigos. Além disso, pessoas vacinadas contribuem para a redução na transmissão, protegendo as pessoas que não puderam ser vacinadas, como as crianças menores de 12 anos”, informa o Secretário de Saúde, André Motta Ribeiro.

“Nesse momento, o grande desafio posto é buscar manter uma atitude de prevenção, seja utilizando máscaras principalmente em ambientes fechados e com grande fluxo de pessoas, como no transporte público, lojas e demais ambientes, além de dar preferência a ambientes arejados, com boa circulação de ar. E é claro, aqueles que estão em atraso na segunda dose, devem buscar completar o esquema vacinal, e os idosos que já completaram cinco meses da segunda dose devem buscar receber a dose de reforço. Todas as vacinas são seguras e eficazes na prevenção de COVID-19, incluindo doenças graves e morte, e estão disponíveis gratuitamente em todos os municípios”, complementa o Secretário.

:: O novo vacinômetro pode ser acessado aqui 

O principal objetivo da Matriz de Risco é ser uma ferramenta de tomada de decisão. A nota final do mapa de risco considera um intervalo de variação mais adaptado para cada nível, sendo de 1 a 1,9 como moderado, 2 a 2,9 como alto, 3 a 3,9 como grave e igual a 4 como gravíssimo.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.

O Olhar do Vale é um jornal digital que traz notícias de Brusque, Guabiruba, Botuverá e  região do Vale do Itajaí.

Somos um portal de notícias dedicado aqueles que buscam informação de qualidade,  jornalismo com verdade.