Água: Botuverá pede socorro

Moradores dos bairros e comerciantes do Centro sofrem com a falta de água constante no município e não obtém resposta da Casan e da Prefeitura

Moradores estão revoltados com a falta de água na cidade. Foto: Anderson Vieira/Olhar do Vale.

Os moradores do município de Botuverá estão passando por maus bocados desde o final do ano passado. Eles estão sofrendo com a falta de abastecimento de água. De acordo com relato de moradores, em uma semana de sete dias, a água só vem em dois dias na semana. A reportagem do Olhar do Vale foi até a cidade e conversou com moradores e comerciantes da cidade. A moradora do bairro Salto, Ivania Wietcovsky, chegou a postar um vídeo em sua rede social no dia 9 de fevereiro reclamando sobre a incômoda situação de ficar 3 dias sem água. Confira:

De acordo com Ivânia: “A água desde setembro começou a falhar muito. Toda semana. De dezembro para cá piorou muito, falta 4, 5 vezes na semana. Chega a secar a caixa, mesmo tu cuidando porque quando a água vem não tem pressão, pois você tem que abastecer todos os bairros para depois chegar aonde é mais alto. Como a minha caixa é bem alta, demora muito encher. Então às vezes eu tenho que encher num balde mesmo com uma mangueira que vem direto porque não tem pressão. Além disso, tomar água é impossível, porque quando ela vem, vem escura. E liga para Casan eles não sabem de nada”, afirma a moradora.

O problema também atinge comerciantes que não tem como fazer sua empresa funcionar corretamente sem água. Foto: Anderson Vieira/Olhar do Vale.

O problema enfrentado no bairro também é vivido no Centro. É o que relata Fabrício Costa, proprietário de uma padaria localizada na área central da cidade. ” Ultimamente tem faltado de duas a três vezes na semana e a gente ligava para Casan ninguém atendia. Semana passada , na quinta-feira diziam que ia normalizar, não normalizou. Quinta dessa semana, cheguei aqui não tinha água, tive que ir em casa buscar água, pois não tem como trabalhar sem água numa padaria. A fatura não para de vim, mas água não vem e quando vem é suja. A gente até tem caixa de água, mas não dá conta do abastecimento da padaria. A gente espera que a Casan melhore isso. Toda semana falta água, geralmente nas quintas e sextas, os piores dias para nós. Isso atrasa todo o nosso serviço. Não tem como trabalhar sem água. Está uma vergonha”. , relata o empresário.

Publicidade

A moradora do bairro Gabiroba, Eliza Pedrini, também está revoltada com a falta do abastecimento. ” Eu ligo para Casan, dizem que tem vazamento, outro dia dizem que estão olhando, outro dia dizem que fiquei menos de 24h sem água, ah porque vocês moram no moro. Sempre é uma desculpa diferente, cheguei a ligar e desligaram o telefone na minha cara. Está bem complicado, estou mais sem água do com.”, finaliza.

Casan se manifesta

A reportagem do Olhar do Vale entrou em contato com a Casan que emitiu uma nota em relação ao problema:


“Felizmente neste final de semana a bomba do poço que abastece o principal reservatório da cidade desligou várias vezes, o que demonstra que o tanque de reserva estava cheio e o abastecimento sem problemas.

Mas a Companhia está ciente de que o sistema de abastecimento necessita de investimentos, pois diante do calor e do alto consumo, associados a vazamentos ocultos (que não afloram no terreno), o fornecimento de água tem apresentado dificuldades neste verão. Nos próximos meses a Companhia inicia a perfuração de um novo poço para captação de água. Está também no planejamento para uma nova Estação de Tratamento de Água com captação superficial. O terreno já foi adquirido e o processo está na Gerência de Políticas Operacionais”, diz a nota.

O Olhar do Vale tomou conhecimento que a  Agência Intermunicipal de Regulação do Médio Vale do Itajaí (Agir ) notificou a Casan para que melhore o abastecimento em Botuverá. A reportagem entrou em contato com a agência, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

O mesmo aconteceu com a prefeitura em que foi entrado diretamente em contato com o prefeito da cidade, Alcir Merizio, por um aplicativo de mensagens que, apesar de ter ouvido o áudio enviado pela reportagem, não respondeu.

Atualização

O prefeito enviou um áudio após a publicação da matéria onde prometeu passar mais informações sobre a posição do município em relação a Casan. Segundo o prefeito, ele estava atuando por causa do incêndio que ocorreu no fim de semana e por isso não retornou o contato. De acordo com Merizio, ” quem chamou a AGIR foi a prefeitura para fazer a notificação para a Casan e ligamos para o gerente regional para se tomar alguma atitude. A gente não está de braços cruzados . Desde o primeiro dia de falta de água, estamos em cima da Casan. A gente não se omitiu de forma alguma. A gente está tomando todas as medidas cabíveis para não deixar a população sem água”, finaliza o prefeito.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.