Advogado de defesa acusa Rodrigo Voltolini de orquestrar suposto conluio contra Jocimar

Foto: Divulgação

O advogado de Jocimar dos Santos Lima (DC), Richard Olivette, subiu o tom em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (19) no apartamento do vereador e acusou o suplente de vereador e vice-presidente do Democracia Cristã, Rodrigo Voltolini de ser o principal articulador de suposto conluio envolvendo em torno de cinco pessoas que culminou no prisão em flagrante de Jocimar.

O advogado confirma a tese da defesa: “Nós entramos com a revogação das medidas cautelares alegando que o flagrante foi premeditado e armado pelo suplente Éder e demais comparsas que supostamente queriam tirar o vereador Jocimar dos Santos do cenário político da cidade de Brusque. Nós estamos convictos de que Jocimar é inocente. Não temos o celular ainda porque está na polícia civil para fazer a perícia e investigação, mas não existe provas que possam condená-lo , no entanto que o ministério público nem apresentou o inquérito, não foi apresentado nenhuma acusação aos altos, o processo está no mesmo estágio que está desde o dia 30. Temos apenas as provas produzidas pelo suplente Éder, nenhuma outra prova foi apresentada até o momento. Isso significa que foi um flagrante totalmente preparado”, afirma o advogado.

Perguntado pelo Olhar do Vale quem seriam essas pessoas que supostamente armaram para a polícia pegar o vereador, o advogado citou um nome: o do suplente de vereador Rodrigo Voltolini que inclusive toma posse amanhã como vereador. “Nós conversamos com algumas testemunhas tanto de defesa quanto de supostamente de acusação do suplente Éder e há um conluio de que a esposa do Éder, trabalha com o primeiro suplente , Rodrigo Voltolini, e de que o comportamento desse suplente é bastante suspeito e comprometedor no envolvimento desse conluio, mesmo porque nós sabemos que o Éder não teria capacidade de agir sozinho e já pedimos a investigação dessas pessoas”.

Publicidade

O advogado afirma que Voltolini “teve comportamento duvidoso” durante uma reunião do partido: “O que eu posso dizer é que as testemunhas no qual eu conversei se apresentaram dizendo que em uma reunião do partido, ele teve um comportamento bastante duvidoso, comprometedor com a saída do vereador Jocimar. Ele já estava querendo assumir o cargo, se colocando como vereador e também tomou algumas decisões que as testemunhas colocaram que eu não posso falar para a imprensa neste momento”, finaliza o advogado Richard Olivette.

Contraponto

A reportagem do Olhar do Vale procurou o suplente de vereador Rodrigo Voltolini para também dar a sua versão do que que foi dito pelo advogado. Ele afirma que recebeu essas declarações com decepção:

“Encaro essa notícia com muita tristeza. O Jocimar me decepciona com essa argumentação. Ele sabe o quanto a gente caminhou junto no partido e o quanto fizemos o DC crescer. Eu tenho certeza absoluta que não tenho nada a ver com isso em nenhum momento até porque eu fui diretor do Zoobotânico até por indicação do próprio Jocimar. A esposa do Éder Leite veio a compor um cargo comissionado dentro do Zoobotânico , assim a recebi, como sempre tratei bem todos eles e para mim foi uma grande surpresa. O Éder apareceu uma única vez, naquela terça-feira a qual após os fatos acontecidos, ele tinha brigado com o Jocimar porque ele não aceitava votar pelo aumento salarial e fiquei sabendo dos fatos pela própria mídia e também pela ligação que o Éder me fez. Eu não acho o Éder incapaz de fazer qualquer ato que ele tenha feito, porque ele é bastante maduro. Eu não qualifico o Éder com falta de conhecimento . Não tenho participação alguma, não faço rachadinha em hipótese alguma. Que venham as provas. Solicitei uma reunião com o Democracia Cristã através do seu Natal, presidente e lá me portei como vice-presidente para mantermos o partido unido sem precipitações . A reunião está gravada. Eu pedi autorização para a reunião ser gravada. Peguem as gravações e verifiquem meu comportamento. Eu iria seguir o trâmite legal que a justiça determinasse para assumir o cargo e assim está acontecendo. Caso a justiça mande eu me afastar cumprirei o que a justiça determinar. Não estou aqui para servir de bengala para as pessoas se darem bem nas minhas costas. Eu nego envolvimento com este fato. Meu celular está à disposição da justiça. Eu ajudei ele numa campanha a Deputado Estadual, eu dei meu sangue por ele”, afirma o suplente de vereador.

Comentários


Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluídos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.