Unifebe Vargas

Mãe reclama descaso em posto de saúde de Guabiruba. Prefeitura diz que relato não procede

IMG_4565

Foto: Anderson Vieira –

Guabiruba – A moradora do bairro Guabiruba Sul, Gisele De Souza, de 34 anos, reclama de descaso de profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) que atende os moradores do Imigrante e Guabiruba Sul. Segundo ela, houve omissão de atendimento médico ao seu filho Otávio, de 11 anos, que tem bronquite asmática e precisava ser consultado urgentemente, pois, segundo Gisele estava passando por uma crise e não conseguia respirar.

A mãe conta que na noite do último domingo (23) o menino começou com falta de ar, ela o medicou, mas o problema persistiu durante a manhã de ontem (24). Então, no horário do almoço ela decidiu levar o filho no Posto de Saúde próximo a casa dela, foi ali que tudo aconteceu.

“Cheguei lá, tinha duas pessoas na minha frente e ele (o filho) passando mal do meu lado, ele estava com muita falta de ar, aí finalmente quando a secretária me atendeu, estava sentada ela e a médica, o postinho estava vazio. Eu disse, por favor, eu só queria, fazer um exame no pulmão dele, para me dar uma receita para ver qual o medicamento que eu preciso comprar agora ou fazer uma nebulização porque ele está passando muito mal”, disse.

A resposta para Gisele foi em tom de ironia, diz: “A secretária do posto disse: Ai querida, as consultas são marcadas na sexta-feira, infelizmente a gente não pode fazer isso. Eu disse: Mas nem só escutar o pulmão dele? Quando eu disse isso, a médica, vendo ele na minha frente, ela virou as costas e foi para o consultório, para a salinha dela, eu pedi por favor, ela disse que emergência é no pronto-socorro do hospital”, conta a dona de casa.

Gisele relata que saiu do posto de saúde revoltada, mas às pressas: “Fiquei irritada, mas fui correndo tentar uma vaga no sindicato que eu sou filiada. Cheguei lá o médico me atendeu prontamente e disse: ‘Mãe eu vou fazer um papel com urgência você leva ele para o hospital porque o teu filho está com os pulmões muito trancados, ele não consegue respirar, o caso dele é critico'”, informa a mãe.

O Olhar do Vale procurou a prefeitura de Guabiruba para falar com Anderson Roberto Pereira, que é enfermeiro responsável pelo Posto de Saúde. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que ele não gravaria entrevista, mas que enviaria por e-mail uma nota oficial em resposta a reclamação de Gisele e assim o fez. Diz a nota:

No dia 24/08/2015 o usuário compareceu à Unidade de Saúde Imigrante por volta das 14 horas acompanhado de sua mãe, que solicitou consulta médica de emergência, pois o filho havia passado mal durante a noite. O mesmo foi atendido pela equipe de enfermagem e orientado a procurar o hospital de Guabiruba, que atende das 14h às 24h, inclusive nessas situações.

Referente à informação de que a médica não atendeu o paciente e virou as costas para o mesmo, reforçamos que o relato não procede, uma vez que a profissional médica estava no consultório realizando as demais consultas naquele momento. O atendimento prévio foi realizado pela equipe de enfermagem da unidade Imigrante.

Assina a nota a assessora de imprensa da prefeitura de Guabiruba Suelen Cerbaro.

por Anderson Vieira

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.