Unifebe Vargas Neni

Jovem de 16 anos morre por Leptospirose

Seu corpo será enterrado às 16h, no Cemitério do Bairro Águas Claras;

Foto: reprodução Facebook -

Foto: reprodução Facebook –

Brusque – Um jovem de apenas 16 anos de idade morreu nesta quarta-feira, 10 de fevereiro, após contrair Leptospirose. De acordo com algumas informações apuradas por Olhar do Vale (ODV), André Iaraceski teria sido levado ao Pronto Socorro do Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux (Haccr) – o Hospital de Azambuja – ainda durante a terça-feira, 9, com forte febre, um dos sintomas da doença transmitida pelo contato humano com urina de ratos.

Por ter os mesmos sintomas de outras doenças como gripe e dengue, André teria sido mandado de volta para sua casa. Nesta quarta-feira, após passar mal novamente, retornou para a unidade hospitalar, aonde foi internado e respirava com o auxílio de aparelhos. De acordo com a Central Funerária, André faleceu por volta de 14h30min.

André era morador do Bairro Águas Claras e vários amigos já prestaram homenagens em sua página no Facebook. Seu corpo está sendo velado na Capela Mortuária do Bairro Águas Claras desde a tarde de ontem e o sepultamento ocorrerá no cemitério da localidade, a partir das 16h.

Em 2015, Santa Catarina registrou 16 mortes em decorrência da Leptospirose. Desde que começou a ser contabilizado, o número de óbitos pela patologia teve seu pico em 2008, ano de enchentes no estado, quando 25 pessoas morreram.

Transmissão

De acordo com o site Minha Vida, a leptospirose uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Leptospira presente na urina de ratos e outros animais, transmitida ao homem principalmente nas enchentes. Bovinos, suínos e cães também podem adoecer e transmitir a leptospirose ao homem.

Os sintomar mais frequentes são parecidos com os de outras doenças, como a gripe e a dengue. Os principais são: febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna), podendo também ocorrer vômitos, diarréia e tosse. Nas formas mais graves geralmente aparece icterícia (coloração amarelada da pele e dos olhos) e há a necessidade de cuidados especiais em caráter de internação hospitalar. O doente pode apresentar também hemorragias, meningite, insuficiência renal, hepática e respiratória, que podem levar à morte.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.