Unifebe Vargas Neni TEVAH

Hospital Evangélico emite nota e diz que continua funcionando

Entidade também creditou a crise à burocracia e ao momento de instabilidade financeira que passa o Brasil;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brusque – O Hospital e Maternidade Aliança, antigo Hospital Evangélico, a fim de acalmar os rumores sobre a eminente possibilidade de seu fechamento, emitiu nota a imprensa explicando a sua difícil situação financeira. O comunicado também serviu de contraponto as alegações feitas pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Blumenau (Sesblu), que também assessora os profissionais da cidade de Brusque.

Relembre: “Horas decisivas: Hospital Evangélico pode fechar nesta sexta-feira

A alta carga tributária imposta pelo Governo Federal, a instabilidade econômica do país, dentre outros fatores, também foram os responsáveis pela atual fase que passa a unidade hospitalar, credita o texto que você confere logo abaixo:

Frente aos recentes comentários e notícias que circulam através dos meios de comunicação dispostos ao público em geral, referentes a atual situação da empresa Maternidade e Hospital Aliança Ltda, a direção emite a presente nota oficial, afim de esclarecer os rumores que estão sendo divulgados e informar a população dos fatos que vem ocorrendo nesta instituição.

Inicialmente o hospital também foi atingido pela instabilidade econômica que atravessa nosso País, entretanto além dos diversos fatores externos em geral, deve-se levar em conta que a área da saúde demanda suportar uma carga tributária bastante considerável, além de que os insumos indispensáveis para manter o mínimo necessário dos serviços em funcionamento, possuem também um custo elevado.

A legislação federal ainda obriga a entidade de saúde, a fim de permitir seu funcionamento, a garantir a existência de número mínimo de profissionais médicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de acordo com o número de leitos existentes  independentemente da taxa de ocupação do hospital, ou seja mesmo sem movimento é obrigatório o corpo de funcionários em número elevado. Em que pese o princípio da mínima interferência do Poder Público na iniciativa privada, a entidade hospitalar não está “acima” ou podendo funcionar de forma diversa do que é exigido na legislação pátria. A soma de todos esses fatores torna o segmento por demais oneroso e a atividade bastante complexa para que sejam cumpridos todos os requisitos legais, com um movimento tão abaixo da média.

Independentemente de todos esses fatores a empresa ainda se mantêm funcionando, tendo sido compelida por questões financeiras, a determinar o fechamento parcial e provisório de alguns setores entre eles o pronto atendimento. Atualmente a gestão busca parcerias de investidores e está analisando várias propostas advindas de empreendedores do Estado e fora dele, os quais estão determinados a vir participar da sociedade, utilizando e fazendo bom uso da excelência do maquinário, tecnologia e estrutura física da empresa.

Importante ressaltar que tão logo sejam firmadas parcerias com investidores que estão se apresentando e propondo intenções, a prioridade da empresa é estabilizar e adimplir com as obrigações trabalhistas e de seus fornecedores. Atualmente a empresa possui em seu quadro de colaboradores, cento e vinte e dois empregados, os quais estão cientes da situação, tendo sido informados constantemente a respeito de tudo que vem ocorrendo, sendo ainda solicitado aos mesmos que tanto diretoria como os funcionários de cada setor, continuem fazendo o melhor de si, a fim de prestar um atendimento de excelência e qualidade conforme a população merece e deseja.

Cumpre ainda destacar que não são verdadeiros os boatos de que “toda” a estrutura e patrimônio da empresa esteja embargado ou mesmo penhorado pelo Poder Judiciário! A informação correta é que parte do valor da receita percebida atualmente está sendo utilizada para adimplir com obrigações trabalhistas resultantes de processos judiciais que se encontram na fase de liquidação e cumprimento do que fora definido pelo Poder Judiciário. A empresa detém ainda patrimônio e receita suficiente para manter-se com o mínimo de atendimento, estando ainda realizando cirurgias pré agendadas e outros atendimentos.

Tão logo ocorra a alteração do quadro social da empresa, seja por qualquer meio legal permitido em direito, será informado oficialmente aos interessados e a imprensa em geral. Reitera-se que a atual posição da diretoria é também sugerido pelos possíveis investidores que estão participando das tratativas de compor um novo quadro social da empresa, qual seja, de que mantenham os funcionários que atualmente trabalham na empresa e seja prioridade a adimplência dos créditos trabalhistas. A Maternidade e Hospital Aliança Ltda, por sua atual gestão, colaboradores e assessores, estão trabalhando de mãos dadas na busca de investidores e outros meios para se reestruturar, vindo a cumprir com suas obrigações  tão logo quanto seja possível, inclusive realizar novas contratações de colaboradores. O objetivo da empresa é prosseguir com sua atividade a qual possui como segmento principal a proteção do maior bem jurídico tutelado pelo direito, a vida humana!

Att. Direção.”

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.