Unifebe Vargas TEVAH

Hospital de Azambuja realiza primeira cirurgia de coluna com controle de movimentos

No próximo dia 15 de maio, o Hospital de Azambuja será pioneiro em Brusque, com a primeira cirurgia de coluna cervical com o auxílio do método de Monitorização Neurofisiológica Intra-operatória (MNIO). De acordo com Dr. Rafael Hoffmann, ortopedista e membro da Sociedade Brasileira de Coluna, que irá realizar a cirurgia, o procedimento consiste na instalação de eletrodos, por um médico eletrofisiologista, que controlam a função da medula vertebral, desde o início da indução anestésica, até o despertar do paciente.

“A técnica para realizar a cirurgia não muda. O que muda é a segurança. Percebemos em nosso consultório, a cada indicação de cirurgia na coluna, o receio que os pacientes têm com relação aos riscos de perda de movimentos e paraplegia. Dessa forma, podemos lhes oferecer uma segurança a mais”, explica o médico.

O profissional ressalta, ainda, que este já é um procedimento utilizado em todas a cirurgias de deformidades na coluna. O método também é usado em outras cirurgias de coluna cervical e de tumores na coluna. “Com o aumento progressivo da complexidade das cirurgias de coluna que realizamos no Hospital Azambuja, vimos por bem buscar mais este benefício”, salienta Dr. Rafael.

Com a MNIO, o risco trazido pela cirurgia de coluna – que já é baixo – diminui consideravelmente. “O tempo ao qual o paciente permanece anestesiado torna-se discretamente maior devido a necessidade de instalação dos eletrodos”, finaliza o ortopedista. Além do Dr. Rafael, devem participar da cirurgia mais três médicos.

Para Fabiano Amorim, administrador do Hospital de Azambuja, trata-se de mais uma inovação da unidade hospitalar que é oferecida à comunidade de Brusque e região. “O Azambuja está cada vez mais se modernizando e trazendo a comunidade da região as melhores e mais seguras técnicas de cirurgias. O que o coloca entre os melhores hospitais do estado”.

Vale ressaltar que tal intervenção cirúrgica não é oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pois o Azambuja ainda não está credenciado para fazer cirurgias de alta complexidade. Esta cirurgia que será realizada é feita através do convênio do paciente.⁠⁠⁠⁠

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.