Unifebe Vargas Câmara

Anjos da vida: apressadinha vem ao mundo na ambulância do Samu

Ocorrência foi atendida na tarde de ontem, terça-feira;

Foto: reprodução Facebook -

Foto: reprodução Facebook –

Brusque – De vez em quando, alguns bebês apressadinhos decidem chegar um pouco mais cedo ao mundo. Eles não esperam nem as mamães darem entrada nos hospitais e já estão lá, ansiosos para ‘saírem do forno’. Na tarde desta terça-feira (15), por exemplo, foi das mãos de uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que a pequena Kauane veio ao mundo, pelas mãos dos socorristas Fabiano Frey, Mara Almeida e Vinícius Ornel. Na entrada do Centro Obstétrico do Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux (HACCR) ela já estava bela e formosa nas mãos da sua mamãe, Josiane Mendonça, moradora da Rua Zenaide dos Santos Souza.

Enfermeira do Samu que esteve presente neste atendimento, Mara Almeida conta a emoção do momento. “O acionamento ocorreu por volta da 14h30min, no Bairro Steffen. A mãe estava na sua terceira gestação e quando chagamos ela estava em trabalho de parto avançado. Em deslocamento ao Hospital de Azambuja o trabalho de parto evoluiu e na entrada do Centro Obstétrico a pequena Kauane veio ao mundo. O parto foi realizado pela equipe do Samu com o apoio da enfermeira Letícia Ávila. Na guarnição estávamos eu, Mara Almeida, técnica de enfermagem, socorrista Fabiano Frey e o enfermeiro Vinícius. Já tive muitas vezes esta graça de auxiliar essas mães a trazerem seus filhos ao mundo nestes 10 anos de Samu, mas sempre é uma emoção”, disse ela ao Portal Olhar do Vale (ODV).

Para a profissional, poder estar presente nestas horas é algo transcendental. “Trago comigo uma frase dita por uma das gestantes que auxiliei: ‘não somos nós que escolhemos as nossas ocorrências e sim somos escolhidos’. Não sei precisar quantos partos já ocorreram dentro das ambulâncias, mas posso garantir que já foram alguns”, completou Mara.

A pequena Kauane veio linda e saudável ao mundo, pesando 2,870 quilogramas, segundo o papai babão, Paulo Coimbra. Ainda segundo a enfermeira, em cada vez que isso acontece é uma história diferente que é contada. “Um parto é sempre um parto, cada um com sua particularidade e uso sempre um termo popular: é uma caixinha de surpresa, mas graças a Deus até hoje todos deram certo (…) a mensagem que deixamos pra ela é que ela cresça com sabedoria e que sua vida seja repleta de felicidades, saúde e muito amor”, finaliza.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.