Unifebe Vargas Câmara

Prefeitura de São João Batista busca empréstimo de R$7 milhões junto ao Badesc e BRDE

Solicitação precisa ser aprovada pela Câmara de Vereadores para ser encaminhada aos órgãos

A prefeitura de São João Batista está pleiteando empréstimo de R$7 milhões junto ao Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Agência de Fomento de Santa Catarina (BADESC). Os recursos provenientes dos órgãos são de R$4 e R$3 milhões, respectivamente.  A intenção do governo municipal é destinar os recursos para a pavimentação de ruas e também para a reforma do Ginásio Municipal de Esportes Manoel Sertório Alves (Manecão).

Dos R$7 milhões do empréstimo, o governo municipal pretende destinar R$1,2 milhão para a reforma do Manecão, e os R$5,8 milhões restantes para a pavimentação de ruas da cidade. Conforme o prefeito, Daniel Netto Cândido, será possível contemplar entre 20 e 25 ruas com o valor, que já estão pré-estabelecidas. “Para ser justo criamos um critério de do bom senso. Porque primeiro as indicações dos vereadores, que são as indicações que a comunidade bate na porta deles pedindo. Então, se eles indicaram, é porque tem uma demanda. E também aquelas que são mais antigas e que tem o maior número de residências nelas”, adianta.

Para que o pedido seja encaminhado aos órgãos de fomento, o prefeito Daniel Netto Cândido precisa da maioria dos votos da Câmara de Vereadores, que atualmente pertence à oposição. Por outro lado, Cândido está confiante que a disputa política da cidade não interfira na votação. “Minha expectativa é para que eles aprovem. Porque não estão aprovando para o Daniel, ou para o partido do Daniel. Estão aprovando para o município” destaca.

Aprovado pelos vereadores, o projeto será encaminhado para análise de crédito no Tesouro Nacional. A segunda etapa será a análise dos projetos pelo Badesc e BRDE, que poderão sofrer alterações de valores. De acordo com o prefeito, o prazo de que a prefeitura terá para quitar a dívida ainda não está definido. “Depois de todos os contratos assinados, licitamos e executamos a obra. O pagamento seguiremos a carência que o Badesc Cidades exige e a taxa de juros que o Badesc exige. Que pode até a assinatura do contrato ela pode sofrer mudanças”, explica.

Para o prefeito, o empréstimo é uma alternativa para viabilizar as melhorias na cidade, já que o município possui baixa capacidade de investimento. “Bom se não precisasse fazer esses empréstimos e tivesse dinheiro em caixa para executar. Como não tem e a gente sabe a necessidade da população, eu acredito que o empréstimo seja realmente o caminho mais viável nesse momento”, finaliza.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.