Unifebe Vargas TEVAH

Município garante Pronto Atendimento de Pediatria no Hospital de Gaspar‏

Informação foi garantida pela Prefeitura da Cidade vizinha a Brusque;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Gaspar – A partir da próxima sexta-feira, dia 1º de julho, o Hospital de Gaspar contará com pediatria no Pronto Atendimento, das 8h às 14h. A medida será possível com a garantia, por parte do município, de que o hospital se mantenha aberto. A pediatria havia sido transferida para o município por ocasião do fechamento do hospital no ano de 2007 e os atendimentos vinham sendo realizados junto ao Centro de Acolhimento e Risco (CAR).

Com o investimento nos serviços de entrada do Hospital, todo o Pronto Atendimento no município será absorvido pelo Hospital, e no espaço onde está localizado o CAR passará a funcionar a Unidade de Saúde do bairro Sete de Setembro. A unidade vinha atendendo junto à Rua Industrial José Beduschi. “Com a mudança a comunidade será atendida dentro do seu Bairro, como preconiza o programa, e além de toda a excelente estrutura oferecida, haverá a economia de aluguel”, observou Cleones Hostins.

De acordo com o Secretário de Saúde, Cleones Hostins, a medida é bastante positiva tendo em vista a centralização dos serviços de pronto atendimento, a garantia de retaguarda de apoio amplo, atendimento especializado em urgência e emergência, internação rápida quando necessário, horário de atendimento contínuo durante as 24 horas. “Temos certeza de que a comunidade estará muito bem assistida, tanto pelos servidores quanto pela estrutura do Hospital”, garantiu o secretário.

Prefeitura e Hospital

Em maio deste ano a Prefeitura de Gaspar definiu pela prorrogação de intervenção junto ao Hospital de Gaspar por um período de seis meses.  Este é o quarto processo de intervenção da Secretaria Municipal de Saúde junto ao hospital que passou a atuar frente à nova dinâmica, transferindo os atendimentos clínicos do Centro de Acolhimento de Risco (CAR) para o Pronto Atendimento do Hospital.

Desde que a Comissão Interventora assumiu tem trabalhado na estruturação de pessoas e processos, mantendo o pagamento de plantões médicos e salários dos funcionários da Unidade em dia. Além disso, durante este período houve um aprimoramento dos serviços oferecidos à população como a disponibilidade de médicos durante 24 horas.

Outra conquista foi à inauguração da ala pediátrica, que aconteceu em maio de 2015. A área inaugurada conta com 13 leitos e é composta por quartos para internação, sala de isolamento e dois espaços lúdicos, destinados ao entretenimento das crianças em tratamento.

Considerando o mesmo período entre 2014 e 2015, ou seja, os atendimentos realizados de janeiro a dezembro, houve um acréscimo de 17% no volume de Pronto Atendimento de um ano para o outro. O volume de internação cresceu em 22% e o de nascimentos em 2%. O número de cirurgias cresceu 56%, principal indicador da melhora na estrutura hospitalar.

Recursos para hospital

Os recursos recebidos da União são condicionados a produção do hospital, portanto aumentar o número de atendimentos garantirá que o hospital continue recebendo os valores atuais, e ainda pleitear aumento de repasses. Os recursos da União são repassados para o hospital para cobrir despesas com atendimentos, internações e medicamentos. Já o Estado auxilia com incentivo de 11 mil reais por mês.

O governo do Estado possui em torno de R$ 400mil em pendências financeiras com o Hospital, que se referem às cirurgias eletivas do ano de 2015, além de outros R$143 mil de incentivos mensais atrasados, referente aos anos de 2014, 2015 e 2016. Há ainda o repasse de R$600 mil, prometidos pela Secretaria de Estado da Saúde em julho de 2014, que até o momento não ocorreu.

Quando procurar o Pronto Atendimento no hospital

– Casos de emergência e alto risco como fraturas, luxações, entorses, parada cardiorrespitarória, traumatismo, hemorragia intensa, queimaduras profundas e AVC;

– Casos graves sem risco à vida como febre alta, dores fortes de cabeça, alteração de consciência, dores no peito;

– Crianças na idade de 0 a 15 anos incompletos que apresentarem casos graves sem risco à vida como febre alta, dores fortes de cabeça, chiados no peito e alterações respiratórias leves. Quadro alérgico leve, diarreia e vômitos intensos;

Quando procurar Unidades de Saúde

– Casos simples e doenças crônicas como acompanhamento da saúde de crianças e gestantes, dores com causa conhecida, resfriados e infecções simples, vacinas e encaminhamento para especialistas;

– Horário: das 7h30 às 12h e das 13h30 às 16h30.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.