Unifebe Brusque Vargas Têxtil

Fisioterapia domiciliar facilita tratamento de pacientes

O fisioterapeuta faz parte do Programa Fisioterapia Domiciliar, da Secretaria de Saúde de Guabiruba,

fisioterapeuta auxilia dona Cecília no tratamento

 

 

É no aconchego da sala de sua casa, na rua Selma Debatin, Centro de Guabiruba, que a aposentada Cecília Maria Zimermann, 74 anos, recupera os movimentos após um AVC hemorrágico, ocorrido em maio deste ano. Todas as terças e quintas-feiras, ela recebe o fisioterapeuta Marcel Colzani para suas sessões de fisioterapia. É em casa que ela volta a movimentar os dedos das mãos e esforça-se para ficar em pé. “Ele só me dá exercício difícil”, brinca ela, enquanto caminha com o auxílio do profissional.

 

O trabalho dos dois é acompanhado pela filha Silvia Zimermann Freitag, que auxilia com os exercícios nos dias em que o profissional não vai até o local. “A evolução da dona Cecília em quatro semanas foi muito boa. Os familiares ajudam muito. Eles fazem o complemento do tratamento”, explica o profissional.

 

O fisioterapeuta faz parte do Programa Fisioterapia Domiciliar, da Secretaria de Saúde de Guabiruba, que consiste em atender o paciente em casa. “Nós visitamos as pessoas que normalmente estão acamadas, com dificuldades de se locomover. E elas são tratadas para que possam voltar às atividades diárias e para que consigam se deslocar até a clínica para dar continuidade ao tratamento”, explica Colzani.

 

Como Cecília, outras cinco pessoas recebem tratamento em casa. O município possui duas vagas em aberto. Conforme a secretária de Saúde, Stela Maris Maccarini Fischer, essas vagas são destinadas a quem não consegue ir até a clínica. É necessário levar até a Secretaria o pedido do médico para sessões de fisioterapia e a solicitação da família de que o atendimento precisa ser em casa.

 

Além das vagas domiciliares, os atendimentos são feitos na clínica. “Nós temos uma procura muito grande na fisioterapia. Aumentamos de 50 para 80 os atendimentos mês. E todo mês as vagas são preenchidas”, revela Stela. Ela ressalta que o agendamento é feito no primeiro dia útil do mês e que cada paciente tem direito, inicialmente, a dez sessões.

 

Para Silvia Zimermann Freitag, filha de dona Cecília, o profissional em casa facilita e muito a vida de toda família, além do fisioterapeuta conhecer o dia a dia do paciente. Mas ela torce e esforça-se para que logo a mãe não necessite desse atendimento diferenciado. Melhor, tenha condições de ir até a clínica, o próximo passo rumo a sua completa recuperação.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.