Unifebe Vargas TEVAH

Encontro discute construção de barragem em Botuverá

Vereadores de cinco cidades do Vale do Itajaí querem mais agilidade na liberação das licenças ambientais

P_20151029_152819Vereadores de cinco cidades do Vale do Itajaí participaram de uma reunião para discutir a situação da construção da barragem em Botuverá. O encontro, que ocorreu na tarde desta quinta-feira (29), na Câmara de Vereadores de Brusque, discutiu principalmente o atraso na expedição de licenças ambientais necessárias para o início das obras. Estiveram presentes vereadores de Guabiruba, Itajaí, Vidal Ramos, Botuverá e Brusque.

O impasse na construção da barragem permanece desde a audiência pública, realizada no primeiro semestre deste ano em Botuverá. Com recursos aprovados e projetos já concluídos, o início das obras dependente da liberação de licenças de órgãos ambientais. O entrave foi o principal tema abordado pelos vereadores e também pelo prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, único chefe de executivo presente no encontro.

De acordo com Colombi, todos os trâmites necessários para a elaboração dos projetos já foram superados, inclusive o edital para a contratação da empresa responsável pela obra. Apesar da expedição das licenças já se arrastar há pelo menos sete meses, Colombi acredita que os órgãos ambientais devem perceber a importância da obra para as cidades da região. “Acredito que logo os órgãos ambientes vão ver que a obra é necessária. Acredito que eles vão entender e jamais temos que fazer as coisas atropeladas. Se não deram a licença até hoje é porque estão analisando para fazer a coisa segura”, analisa.

O clima do encontro estava voltado para a união das lideranças municipais, a fim de buscar uma solução por parte dos órgãos ambientais competentes. Para o vereador de Itajaí, Giovani Felix, é preciso que as cidades trabalhem juntas para que as cobranças sejam feitas nas esferas estadual e federal. “Trazer nossas lideranças para que, junto a elas, se façam as cobranças. Nós temos que cobrar, sermos rígidos, seremos verdadeiros, mas sempre respeitar o próximo. Nós temos que respeitar os técnicos que estão nas instituições. Mas temos que cobrar atitudes para que isso aconteça”, explica.

Segundo o vereador de Brusque, Jean Pirola, idealizador do encontro, o atraso na construção da barragem acontece porque não há entendimento sobre qual órgão é responsável pela expedição das licenças ambientais. Pirola acredita também que o envolvimento das cidades da região é importante para aumentar a representatividade e cobrar com mais efetividade as soluções. “Como é um trabalho que queremos fazer de forma regionalizada. Quanto mais envolvimento das cidades nós tivermos, com certeza mais pessoas e mais força nós poderemos garimpar para cobrar dos órgãos competentes”.

Um segundo encontro foi marcado para o dia 11 de novembro, na Câmara de Vereadores de Itajaí. O objetivo desse encontro é reunir representantes de órgãos ambientais e do governo do estado para discutir a liberação das licenças ambientais.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.