Unifebe Vargas

Presidente da Câmara de Guabiruba propõe igualar salários de vereadores com o de professores; medida foi negada por todos, menos ele

Sessão foi acalorada em Guabiruba;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Guabiruba – Tinha tudo para ser uma sessão legislativa comum, sem maiores discussões acaloradas. Porém, a reunião da Câmara de Vereadores de Guabiruba da noite desta terça-feira, 21 de junho, estava destinada a ser quente. Tudo por conta de uma proposição verbal feita pelo vereador petista Felipe Eilert dos Santos que, inclusive, responde pela presidência da casa.

Ocorre que na pauta do dia estava a discussão e o parecer das Comissões de Legislação, Justiça e Redação Final e da Comissão de Finanças e Orçamento acerca de três projetos. Um deles, o de número 006/2016, fixava o valor do subsídio mensal (salário) concedido aos vereadores da Câmara de Guabiruba para a legislatura 2017/2020. Talvez não sabendo a “dor de cabeça” que teria, Santos fez uma proposição de emenda, sugerindo que o subsídio dos legisladores se equiparasse ao dos professores do magistério guabirubense.

Comparando: os vereadores ganham mensalmente cerca de R$ 4400. Já os professores, R$ 2150. Resultado final: até mesmo os vereadores de sua própria bancada votaram contra ele. “Não gostam de nos comparar com a Alemanha? Na Alemanha não pagam seus vereadores. Então vejo que esse salário seria justo. É a minha opinião”, disse Eilert que, numa votação incomum, ficou isolado nesta proposição.

À boca pequena, a nossa reportagem apurou que tal proposta causou desconforto em vereadores da situação.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.