Unifebe Vargas Câmara

Obras do PAC: vereadores batem boca sobre possível paralisação de obras no município

Oposição e situação trocaram farpas - algumas ácidas - durante a sessão desta terça-feira (26);

Arte: Wilson Schmidt Junior - Fotos: Câmara de Brusque -

Arte: Wilson Schmidt Junior – Fotos: Câmara de Brusque –

Brusque – A líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara de Vereadores de Brusque, Marli Leandro, cobrou respostas da base governista quanto à paralisação de obras que, segundo ela, existe no município. De acordo com a também sindicalista, Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD), prefeito interino, está falhando com a promessa de que as ações e, principalmente, obras do PAC, teriam continuidade na sua integralidade.

Na tribuna, com o auxílio da reprodução de uma entrevista concedida pelo chefe do Poder Executivo municipal recentemente à imprensa, ela demonstrou uma relação de obras que estariam paradas na cidade de Brusque. “Essa é a nova cara do governo, essa é a nova cara de Brusque: obras paralisadas”, afirmou.

Valmir Coelho Ludvig (PT) concordou com Marli. Ele foi bastante ácido em seu pronunciamento. Entre outras coisas, disse que Prudêncio devia ficar um pouco mais calado, em face de recentes declarações do governante interino em referência a bancada de oposição. “O rei reina, mas desgoverna. Ele devia falar menos e governar mais”, finalizou.

Dejair Machado, líder da atual maioria, retrucou, dizendo que “da boca do mentiroso, até o certo vira duvidoso”. Creditou ao período de chuvas a paralisação parcial das obras. Ele fez questão de lembrar que as obras do Instituto Federal Catarinense (IFC) estavam paradas desde o fim do governo de Paulo Eccel (PT), tiveram a sua continuidade decretada no último dia 1º de abril, já durante o governo Prudêncio. “A vereadora deveria ter explicado porque a obra de oito milhões (do IFC) estava parada há anos (…) a vereadora quer desmerecer um governo legítimo em contrapartida do seu, que foi cassado por abuso de poder político e econômico”, disse.

O atual líder de governo, Alessandro Simas (PR), como não poderia ser diferente, também defendeu a atual administração municipal. Ele ressaltou que todas as obras citadas por Marli já estavam paradas antes da ascensão de Prudêncio ao poder. “Muitas dessas obras estão em fase de projetos. Nem existe o orçamento. Não tem como existir obra. Nós retornamos as obras do Poço Fundo, da Rua Nova Trento e São Pedro”, frisou. O republicano citou várias outras ações e obras que o governo municipal está realizando na cidade.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.