Unifebe Vargas TEVAH

Justiça eleitoral impede Bóca Cunha de se candidatar na eleição indireta

Foto: ilustração ODV -

Foto: ilustração ODV –

Brusque – A juíza eleitoral de Brusque  Camila Coelho impugnou a candidatura de José Luiz Cunha, o Bóca, e o vice em sua chapa, Rolf Kaerstner, para a eleição indireta à Prefeitura de Brusque. A eleição estava marcada para dia 05 de junho (domingo) às 14h.

Com a decisão , o prefeito interino Roberto Prudêncio Neto (PSD) e o candidato a vice, Danilo Rezini (PMDB), serão candidatos únicos no pleito que definirá o prefeito do município até dezembro de 2016.

A chapa composta por Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD) e Danilo Rezini (PMDB) impetrou na Justiça um mandado de segurança contra Bóca Cunha (PP) e Rolf Kaestner (PP), até o momento os seus adversários na eleição indireta do próximo domingo, 5 de junho.

O incurso foi comentado pelo advogado Cambises José Martins, que representa o prefeito interino e candidato Prudêncio, além do vice na chapa, Rezini. “O objetivo é garantir a continuidade das eleições na forma em que havia sido estabelecido desde 2015, na resolução da Câmara Municipal de Brusque. As eleições tinham tido início via indireta e o TSE, atendendo em parte um recurso do ex-prefeito Paulo Eccel, suspendeu-a. Neste meio tempo, os candidatos Ingo Fischer (PP) e Juarez Piva (PP) haviam desistido. A Câmara inovou, deu mais elasticidade ao que foi decidido pelo TRE e chancelado pelo TSE. Era só continuidade. Nós queremos o que seja respeitado a resolução que foi tomado a época”, disse Martins, defendendo a tese de que Cunha e Kaestner não podiam ter se candidatado no lugar dos desistentes.

por Anderson Vieira

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.