Unifebe Vargas

“Isso é um escândalo nacional” disse Dejair Machado, sobre Ideologia de Gênero

Para pessedista, trata-se de um atentado contra a família tradicional;

Foto: Wilson Schmidt Junior -

Foto: Wilson Schmidt Junior –

Brusque – Entre outras coisas, a sessão da Câmara de Vereadores de Brusque realizada no fim de tarde desta terça-feira (7) teve como novidade a estreia do sistema eletrônico de votação. Além de computar o seu voto sobre matérias legislativas, os edis também poderão acessar projetos, minutas e documentos históricos da casa apenas pesquisando no servidor da casa do povo, dispensando o uso de calhamaços de papel.

Fora isso, a reunião de ontem também serviu para que se fosse debatido alguns assuntos polêmicos. Entre eles, a Ideologia de Gênero, ou a Ideologia da Ausência de Sexo, doutrina de esquerda segundo a qual os dois sexos, masculino e feminino, são considerados construções culturais e sociais, e que por isso os chamados “papéis de género” (que incluem a maternidade, na mulher), que decorrem das diferenças de sexos alegadamente “construídas” — e que por isso, não existem —, são também “construções sociais e culturais”

Dejair Machado (PSD) é um crítico desta crença que está incluída no Plano Nacional de Educação. Estava também no Plano Municipal de Educação e foi retirada pela Maioria dos Vereadores. “É um tipo de conceito que busca deixar que cada pessoa pertença ao gênero que quiser. É claro que se depois dos dezoito anos a pessoa quiser ter qualquer orientação sexual, é um direito. O que não pode é colocar nas crianças de dez anos e adolescentes nas escolas que elas não tem gênero, são todas iguais. Estão querendo que usem os mesmos brinquedos, usem o mesmo banheiro. É isso que não pode. Essa Ideologia de Gênero nada mais é que uma desestruturação da família tradicional”, afirma.

Dejair citou, também, os projetos a nível federal que permitem que uma criança de doze anos possa requisitar junto ao Ministério Público – caso os pais não ofereçam seu consentimento – uma cirurgia de mudança de sexo. A redação é de autoria de Jean Wyllis (PSOL) e Erika Kokai (PT), ao qual o pessedista classificou como desvairados. “Isso é um escândalo nacional. Estão querendo que as crianças nasçam neutras. Isso não é verdade, é uma descontrução da família e é uma forma perversa do Governo Federal de querer acabar com a família tradicional. E é por isso que me revoltei”, finalizou.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.