Unifebe Vargas PREFEITURA TEVAH

Denis Smaniotto é ouvido na CPI do Samae

 

denis2

 

Os vereadores que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a compra de um terreno no bairro Águas Claras por parte do Samae ouviram, na tarde desta quarta-feira, o penúltimo depoimento, do administrador da Smaniotto Imóveis, Denis Smaniotto.

Na oportunidade Denis disse que conhecia as propriedades do sr. Raul de Mello. Comentou também que o terreno em questão lhe foi oferecido pelo sr. Raul pela primeira vez entre 2005 e 2006 pedindo um valor absurdo de mercado. Depois disso, o sr. Raul continuou lhe oferecendo. Mas o negócio se concretizou apenas em 2010, quando foi oferecida uma contraproposta de sua parte e fechada a compra no valor de R$ 150 mil, sendo uma entrada com cheque de R$ 50 mil e 10 parcelas de R$ 10 mil. O empresário disse que não sabia do interesse do Samae pelo terreno.

Denis afirmou que adquiriu o terreno com intenção de fazer um loteamento com 20 lotes, tendo contratado profissional para fazer a medição da área. Entretanto, assim que a quitação das parcelas foi sendo efetivada, passou a ofertar o terreno para diversas pessoas, com o intuito de em seguida adquirir um apartamento para si.

O empresário afirmou ter oferecido o terreno a Evandro de Farias entre abril e maio de 2011. “Já o conhecia, pois trabalhei no Banco Votorantim na época em que ele era revendedor de carros. Ofereci este terreno para outras pessoas também, no valor de R$ 500 mil. Era um imóvel diferenciado, quando temos um imóvel para loteamento ofertamos diretamente às pessoas. Adquiri o imóvel e o negociei oito a dez meses depois. O sr. Raul não sabia que eu estava negociando. Eu comprei esse imóvel como uma barbada, num momento que o seu Raul estava precisando. Liguei para o Farinha, ele foi até o terreno e disse que veria com o Samae se havia algum projeto. Demorou 15 a 20 dias e ele deu a resposta em nome do Samae, disse que tinha interesse no imóvel”, respondeu.

No dia 4 de julho o Samae emitiu a ordem de compra e nota de empenho da aquisição do imóvel. Dias depois emitiu um cheque nominal ao sr. Raul de Mello e Denis Smaniotto confirmou que recebeu esse cheque.

Compra apartamento

Sobre a compra do apartamento de Evandro de Farias, Smaniotto disse que após receber o cheque o guardou. Afirmou que estava à procura de um apartamento pronto, pois iria casar, quando Farinha lhe disse que estava vendendo seu apartamento. “Eu me interessei. Adquiri o apartamento em agosto ou setembro no valor de R$ 430 mil. Paguei R$ 350 mil com o cheque que eu tinha, R$ 70 mil com um terreno no Loteamento Comandolli e R$ 10 mil em dinheiro. O imóvel tinha uma pendência com a construtora do Juca Vechi, levei o cheque para ele. A escritura estava no nome do seu Neri (Farias). Hoje é o imóvel que eu moro, registrado em meu nome. Não dei o terreno que comprei do seu Raul na negociação com o apartamento do Farinha. O cheque sim, mas o terreno não”, respondeu.

 

Anulação da compra

Segundo Smaniotto, nos dias 6 e 7 de janeiro ele efetuou a devolução dos R$ 350 mil ao Samae, por conta da anulação da compra do terreno.

Próximo depoimento

A próxima reunião da CPI acontece hoje, 10 de abril, às 14 horas no Plenário da Câmara, momento em que será ouvido o vice-prefeito e ex-diretor do Samae, Evandro de Farias.

 

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.