Unifebe Vargas

Brusque terá eleição indireta; Paulo e Farinha permanecem cassados e inelegíveis

Decisão do TSE ocorreu na noite desta terça-feira;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brasília/Brusque – Após meses de espera, enfim o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu o futuro político de Brusque. Paulo Eccel e Farinha, prefeito e vice cassados no fim de março de 2015 por abuso de poder político e econômico, estão definitivamente afastados e inelegíveis por oito anos.

Além disso, Mandado de Segurança impetrado pelo partido Solidariedade de Brusque foi negado de maneira unânime. O mandado pedia por eleições diretas no município. Porém, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, deu parecer contrário ao pedido da agremiação partidária brusquense, levando em conta a proximidade das eleições municipais de 2016, além dos gastos públicos que seriam destinados à realização de uma eleição direta em Brusque para um mandado de poucos meses.

Desta forma, se mantém a escolha de um novo prefeito através de eleição indireta, ou seja, ao qual os vereadores decidirão quem será o novo chefe do Poder Executivo. Ainda não há data especificada para o importante evento.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.