Unifebe Vargas Câmara

Setor da Estação de Tratamento do Samae recebe nova cobertura metálica

Investimento nessa obra foi de aproximadamente R$ 45 mil;

Foto: Wilson Schmidt Junior -

Foto: Wilson Schmidt Junior –

Brusque – O tratamento de água executado pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque passa por várias etapas. Logo após ser captada no Bairro Guarani e passar por pouco mais de um quilômetro nas três adutoras existentes, a água bruta chega à Estação de Tratamento de Água (ETA) Central. Já na ETA, o primeiro local em que o recurso hídrico aporta é no pré-sedimentador. Ficando cerca de 10 minutos neste ponto, as partículas de maior tamanho sedimentam e os primeiros produtos químicos são injetados.

Até pouco tempo, o pré-sedimentador era o único ponto da ETA Central que não possuía uma cobertura de estrutura metálica. Porém, no final da última semana, após mais um investimento feito pela autarquia, isso mudou. De acordo com Márcio Cardoso, diretor da estação, a obra não foi um mero capricho. “Além do conforto proporcionado aos trabalhadores, a cobertura vai impedir a entrada de luz, impedindo a formação de algas, facilitando os procedimentos de limpeza”.

E a explicação técnica não para por aí. Com o verão brusquense chegando – sempre bastante quente, a tendência é de que os raios de sol incidam sobre o tanque, expandindo as moléculas de água armazenadas no espaço. “Isso produz uma onda. Na superfície a intensidade dessa onda não é forte. É forte embaixo. Isso vai fazer com que lá embaixo ocorra o desgrudamento do lodo, vindo pra cima. Essa cobertura vai evitar que isso aconteça”, explicou Cardoso.

Por fim, o servidor do Samae Brusque ressaltou que fora todos os motivos apresentados, existe também a questão envolvendo o conforto do trabalhador do Samae, que não irá mais ficar exposto ao tempo no momento em que for lavar o tanque do pré-sedimentador e, claro, aplicar os produtos químicos utilizados no tratamento.

Fabiana Dalcastagné, diretora-presidente da autarquia, avalia a obra como necessária, na medida em que uma das principais metas do ambiente interno do Samae é proporcionar qualidade de vida para seus colaboradores. “Aplicamos cerca de R$ 45 mil nesta estrutura metálica. Na hora de cuidar de nossos servidores, não devemos pensar nisso como uma despesa e, sim, um investimento, pois eles também não medem esforços para trazer água de qualidade para toda a população brusquense”, finaliza.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.