Unifebe Vargas

Balé: brincadeira, disciplina e coordenação motora

Escola de Brusque atende crianças de várias idades e ensina de forma lúdica

P_20150915_111657

Os passos ainda são um pouco desengonçados. A habilidade para realizar os movimentos também não chama muito a atenção. Mas, quando o assunto é alegria, basta olhar para o rostinho de cada uma das pequenas bailarinas para ver o sorriso estampado. É nesse clima de diversão que a professora, Ana Paula Rockenbach, ensina os primeiros passos de balé clássico para a criançada.

Apesar de as crianças aprenderem de forma lúdica, as aulas tem foco bastante sério. De acordo com a professora, formada em educação física e pós-graduada em dança, a prática do balé desenvolve a coordenação motora, postura e disciplina. “De forma lúdica a gente vai trabalhando o melhorar do caminhar, o fortalecimento muscular. Acabam vindo muitas crianças através de indicação médica, por causa de problemas ortopédicos”, explica.

Além do trabalho ortopédico, as crianças já têm instruções sobre as técnicas do balé clássico. “Por maisP_20150915_101418
que seja de forma lúdica, de brincadeira, elas aprendem alguns fundamentos da dança como, por exemplo, posição básica dos pés e dos braços, alguns passos, até mesmo a forma de se comportar dentro da sala de aula e a disciplina”, diz.

Ana Paula acredita que o balé também é uma maneira de socialização entre as meninas, e que a dança  pode auxiliar no ambiente escolar das crianças. Ela conta que a dança fez diferença quando ela ainda estava no ensino fundamental. “Por experiência própria, o balé ajudou bastante na questão de ser muito tímida, medo de me expor e de fazer perguntas na sala de aula”, exemplifica.

Para Morgana Müller Coelho, mãe de Isadora, o balé ajudou a filha a ter mais responsabilidade pelas atividades do dia a dia. Morgana matriculou a filha na dança por causa da atividade física, mas que os resultados em outros aspectos surpreenderam. “Ela ainda é uma criança, mas vejo que a questão de saber que tem o dia do balé, cria uma rotina para ela. Ela sabe que precisa se arrumar, colocar a roupa e estar pronta para ir”, conta. Isadora tem quatros anos e há dois frequenta as aulas de dança.

Texto e fotos : Olhar do Vale

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.