Unifebe Vargas Neni TEVAH

Água com pressão: elevatória começa a funcionar no Dom Joaquim

Moradores das áreas altas já estão recebendo água com mais pressão, após instalação da casa de bombas localizada na entrada da Rua DJ 42;

Foto: Wilson Schmidt Junior -

Foto: Wilson Schmidt Junior –

Brusque – Historicamente prejudicados pela falta de água, os moradores do Bairro Dom Joaquim, principalmente aqueles das partes altas, notam, desde o último dia 28 de dezembro, uma melhoria no abastecimento. Tal alívio é resultado da construção e ativação da Elevatória de Água Tratada (EAT) do Bairro Dom Joaquim.

Fruto de um investimento de aproximadamente R$ 150 mil – recursos próprios do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque – a casa de bombas pressuriza a água a aproximados faz 55 m.c.a. (metros de coluna d’água). O novo equipamento do Samae está situado na entrada da Rua DJ 42, via que dá acesso ao Bairro Cristalina.

“Com isso, conseguimos pressurizar a rede de distribuição de água tratada, ocasionando a melhora nas partes altas do bairro, que não estavam recebendo água nos horários de pico, principalmente aos sábados, quando o consumo é maior. Temos certeza que vai resolver o problema, que o bairro todo irá ficar pressurizado, que terá mais volume de água, e vai sanar esse problema antigo no Dom Joaquim”, afirma Fausto Diegoli, diretor técnico da autarquia.

Apesar de todo o bairro ser beneficiado, as ruas João Peters e Anna Heil são as que, de fato, sentirão a maior diferença, de acordo com o servidor. “Na Anna Heil, inclusive, no ano passado, também fizemos a troca de toda a tubulação da rua. Era diâmetro de 40 milímetros e passamos para diâmetro de 85. Mais do que dobrou a espessura do cano. Então, essas duas ruas vão, com certeza, ter água de maneira ininterrupta, em todos os horários”, frisa.

Nos próximos dias, o Samae Brusque começará a instalação dos equipamentos de monitoramento da casa de bombas, a fim de que o acompanhamento seja feito de maneira constante. “Nós ainda temos folga na bomba. Podemos aumentar ainda a rotação dela, para colocar mais pressão. A partir de hoje iremos, também, começar a acompanhar as melhorias feitas para ver se realmente obtiveram êxito”, continuou Diegoli.

Foto: Wilson Schmidt Junior

Foto: Wilson Schmidt Junior

A instalação da EAT veio em excelente hora, ainda de acordo com Fausto, ressaltando que a estação verão é onde há o maior consumo de água em toda a cidade. “Vale ressaltar que a falta d’água ainda pode haver, mas é pontual. Isso geralmente ocorre com quebras de redes, quando a rede tem que ser fechada. Mas é um período curto de tempo, enquanto os funcionários fazem o conserto. Ou, lógico, nos temporais de verão, quando ocorrem fortes precipitações, o sistema não comporta o tratamento. Em casos de exceção, ainda pode haver desabastecimento, mas não mais por falta de pressão”, finaliza.

O diretor-presidente do Samae, engenheiro Juliano Montibeller, determinou prioridade neste serviço e solicitou um acompanhamento nas casas para aferir o resultado da obra.

por Wilson Schmidt Junior

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.