Unifebe Vargas TEVAH

Alunos de Brusque participarão de torneio de robótica no fim de semana

Brusque vai competir com duas equipes, que conta com seis alunos em cada uma delas. Todos os anos, as equipes precisam desenvolver projetos a partir de um tema. Em 2017, o assunto é Animal Allies, ou seja, Animais Aliados;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brusque – Inspirados pelo resultado inédito conquistado no ano passado, quando representaram o Brasil no Torneio de Robótica First Lego League (FLL), que aconteceu nos Estados Unidos, alunos do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Brusque esperam repetir o feito. No próximo fim de semana, dias 4 e 5 de março, o Sesi de Santa Catarina, entidade da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), realiza, em Blumenau, a primeira edição regional do Torneio no estado. A competição reunirá 30 equipes, envolvendo cerca de 250 estudantes de nove a 16 anos. Brusque vai competir com duas equipes, que conta com seis alunos em cada uma delas.

Todos os anos, as equipes precisam desenvolver projetos a partir de um tema. Em 2017, o assunto é Animal Allies, ou seja, Animais Aliados. As equipes de Brusque vão competir com os projetos: Modern Bird Shelter – MBS e G.A.A.E.S – Grupo de Apoio aos Animais Exóticos e Silvestres.

O primeiro projeto, da equipe Tecnorob Green, é uma casinha para os pássaros feita com poliuretano reciclado, sendo termoacústica e com isolamento térmico que protege os animais das variações de temperatura e possui grande durabilidade (cerca de 40 anos).

“Nós procuramos a empresa Irmãos Fischer porque eles fazem casas com este material e tinham muitas sobras, então, prontamente, aceitou nos ajudar neste projeto, inclusive vão fazer sete casinhas pra gente levar ao torneio”, disse a estudante Amanda Hoff Battisti, de 13 anos de idade. Segundo o técnico da equipe, Thiago Bortoluzzi, “a intenção é, neste primeiro momento, instalar as casinhas em dois pontos da cidade, na Praça Barão de Schneeburg e na Sesquicentenário e, no futuro, comercializá-las”.

A segunda equipe, Tecnorob Red, tem como objetivo orientar as pessoas sobre o que fazer ao encontrar um animal exótico ou silvestre. O grupo criou um site e vai fazer uma campanha explicando para as pessoas quais procedimentos teve tomar ao encontrar um destes animais. “Descobrimos que muitos animais silvestres estão indo para os centros em busca de proteção e alimentos e acabam em residências onde as pessoas não sabem o que fazer com eles, às vezes até matam. A gente vai conscientizar a população os procedimentos corretos”, disse a estudante Ana Carolina Nuss, de 13 anos.

Thiago Day, de 15 anos, faz parte da equipe Tecnorob Red e já tem um pouco mais de experiência no assunto. Ele foi um dos estudantes que esteve nos Estados Unidos no ano passado. “Foi muito bom, pois conhecemos projetos de outros países, outros estudantes do mundo inteiro e sem contar o que aprendemos nas palestras, principalmente da NASA”, contou.

Com as aulas de robótica o Sesi inova e estimula o aprendizado de conteúdos como matemática, química, física e a biologia, além do desenvolvimento da criatividade e do raciocínio lógico. “Toda a participação nos torneios incentivou os estudantes menores a aprenderem cada vez mais e também quererem participar, sem contar que o trabalho em equipe e o respeito ao outro cresceu muito, além do interesse dos alunos em seguir carreira nas áreas tecnológicas”, lembrou a professora e técnica da equipe, Gianne Moritz Duarte.

Para o vice-presidente regional da Fiesc no Vale do Itajaí Mirim, Ingo Fischer, é um orgulho para Brusque e região os resultados que os alunos vêm conquistando. “São crianças estudiosas e dedicadas que sabem aproveitar todo o incentivo e capacitação que recebem no SESI e todos nós temos que estimular cada vez mais este aprendizado, pois é deste conhecimento que as indústrias vão precisar para se desenvolver”, declarou.

A competição

Durante a competição os alunos precisam apresentar seus projetos respeitando quatro categorias de princípios presentes também nos cursos do Sesi: desafio do robô (o desempenho do robô na mesa de competição), design do robô (desempenho técnico do robô), projeto de pesquisa (o trabalho de pesquisa da equipe sobre um determinado assunto, no caso Animal Allies, ou animais aliados, em que as equipes devem propor soluções inovadoras para os problemas de interação entre homens e animais) e core values (os valores fundamentais da vida, como inclusão, respeito e trabalho em equipe). No total serão 15 premiações, incluindo diversos reconhecimentos em cada categoria e a classificação final para os três melhores desempenhos globais.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.