Unifebe Brusque Vargas Têxtil

2º Fórum de Clusters Têxteis Sul-Americano e Caribenho encerra com escolha do país sede da terceira edição do evento

A cidade de Assunção, no Paraguai será sede do Clustex em 2017;

Foto: divulgação -

Foto: divulgação –

Brusque – Encerrou nesta quinta-feira, 10 de novembro o Clustex- 2º Fórum de Clusters Têxteis Sul-Americano e Caribenho, realizado em Brusque (SC). O evento reuniu representantes do Brasil, Peru, Equador, Colômbia, Argentina e Paraguai, e promoveu importantes discussões sobre o segmento têxtil dos países participantes, bem como a troca de experiências e conhecimento entre os mesmos, e fortalecimento do setor da cadeia têxtil da América Latina.

O Clustex foi organizado em parceria pela Federação das Ampes de Santa Catarina (Fampesc), Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AmpeBr) e Sebrae/SC.

A solenidade de encerramento do evento foi marcada pela assinatura de uma ‘Carta de Intenções’ para a América Latina e Caribe, que partir de agora possibilitará a troca de conhecimentos, de tecnologias e matérias-primas entre os países participantes. Um dos exemplos é o algodão Pima, do Peru, considerado como um dos melhores do mundo, e que poderá ser trazido para produção têxtil no Brasil. “Cada país irá buscar oferecer o seu melhor e com este documento os países da América Latina poderão se integrar ainda mais, além de firmar parcerias e até tornar algumas cidades co-irmãs, como o que já existe em Brusque com Karlsruhe, na Alemanha, por exemplo”, destaca o presidente da AmpeBr, Luiz Carlos Rosin. Os documentos oficializados durante o 2º Fórum de Clusters Têxteis Sul-Americano e Caribenho serão encaminhados ao Governo do Estado, demais esferas e entidades representativas de Santa Catarina e do Brasil para o fortalecimento dos acordos de cooperação firmados entre os países.

Além disso, durante a cerimônia foi escolhida a próxima cidade-sede do Fórum, que em 2017 será realizado em Assunção, no Paraguai. “Ficamos honrados em sermos escolhidos e  vamos convidar outros países e entidades também da América Latina para participar desse importante evento, para continuarmos crescendo. Vamos organizar este evento internacional da melhor forma, como foi realizado em Brusque e esperamos todos no Paraguai em 2017”, comentou a gerente geral da Associação Industrial de Confeccionistas do Paraguai, Adriana Chaparro que representou o país no Clustex, com a consultora da mesma entidade, Eva Torales.

Objetivos alcançados

Para o presidente da AmpeBr, poder contribuir para o fortalecimento do setor têxtil, e ter Brusque como sede de um evento internacional foi um grande desafio, mas que se encerrou com êxito e com a certeza de que as parcerias firmadas, no Peru em 2015, e no Brasil em 2016 terão continuidade. “Além das discussões, da Carta de Intenções, tivemos também uma importante integração social e de negócios, já que muitos visitantes fecharam parcerias com empresas daqui, tanto expositores da Feira de Negócios, como participantes do evento.

Foi um trabalho árduo, mas muito gratificante, pelo apoio que tivemos da imprensa, dos expositores, da diretoria e das entidades e empresas parcerias. Estamos muito felizes, pois conseguimos realizar um grande desafio que era sediar o 2º Fórum Internacional”, comentou.

O peruano Valdemar Jose Romero Chumbe, presidente fundador do ‘Clustex – Lambayeque Y Cluster Textives’ participou da segunda edição do evento no Brasil com grande entusiasmo. Para ele, os objetivos do encontro foram alcançados, já que contribuíram para o fortalecimento do setor para  todos os países participantes. “Agradecemos a todas as entidades que contribuíram para a realização desse evento no Brasil, que foi fantástico. Foi um intenso trabalho técnico, acadêmico e empresarial, mas saímos daqui com as melhores expectativas para o evento que irá ocorrer no Paraguai. Queremos cada vez mais unir os empresários e os artesãos das micro e pequenas empresas da América Latina e do Caribe, para que se fortaleçam e possam se inserir no mercado de competitividade global”, enfatizou.

O diretor executivo da Fampesc, Márcio de Oliveira também avaliou como enriquecedora a experiência em ter no Estado um evento como o Clustex, e acredita que somente por meio da união do setor é que os resultados práticos serão alcançados. “A Fampesc possui um lema de que ‘juntos somos mais fortes’, e esse evento só foi possível com essa união de esforços de diversas empresas e entidades, em especial  a Ampe Brusque. Tendo em vista tudo o que foi apresentado aqui, nas palestras, painéis e Feira de Negócios, temos certeza que a meta foi cumprida. Esse evento a cada ano se fortalece ainda mais e não temos dúvida que em 2017 teremos novos desafios, e que irão fortalecer, em projetos e ações, ainda mais o segmento latino-americano”, completou.

por Assessoria de Imprensa

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.