Unifebe Vargas TEVAH

Sucesso: cerca de oito mil prestigiam “Paixão e Morte de um Homem Livre”

Nesta 20ª edição, duas apresentações ocorreram para um grande público;

1 (800x534)

Foto: divulgação –

Guabiruba – Aproximadamente oito mil pessoas prestigiaram, nesta quinta (2) e sexta (3), o grandioso espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre”. E na segunda e última apresentação de 2015, parece que o tempo ajudou até o último momento, antes de chover, para que sucesso seja o adjetivo para o definir. Nesta edição da peça teatral que reúne uma equipe de mais de 400 pessoas, os últimos momentos de Jesus Cristo na terra e depois a sua ressurreição foram contados sobre o olhar de Maria Madalena.

O evento, como sempre, foi organizado pela Associação Artístico Cultural São Pedro (AACSP), com coordenação da PrismaCultural, no pátio da capela São Cristóvão, Bairro Aymoré. Apesar de ser no município vizinho a Brusque, pessoas de várias regiões do estado marcaram presença para assistir o martírio de Cristo.

5 (800x534)

Foto: divulgação –

Além do papel do filho de Deus, roubou a cena, e não poderia deixar de ser assim, a interpretação do ator da Rede Globo, Júlio Rocha, no Papel do Rei Heródes. De acordo com a direção da AACSP, a novidade foi escolhida com muita cautela. “Acertamos em cheio com a escolha. Júlio Rocha foi além das expectativas e tratou a todos com muito carinho e respeito”, disse Arisson Kohler, o presidente.

Promovida pela Associação Artístico Cultural São Pedro (AACSP), a 20ª edição do espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre” conta com a coordenação de projeto da PrismaCultural, incentivado através da Lei Rouanet. Nesta 20ª edição do evento, o espetáculo foi patrocinado pela Prefeitura de Guabiruba e pela empresa Guabifios.

A emoção de quem viu

11124741_780361582071975_16974856_n

Foto: divulgação

Foi a primeira vez que Ellen C. da Silva prestigiou o espetáculo “Paixão e Morte de Um Homem Livre”. Ela, que mora em Florianópolis, ficou sabendo do evento através da televisão e não hesitou em comprar o ingresso para assistir a peça ao lado da mãe, dona Janina (79 anos), e do filho, Vinícius Gabriel, com Síndrome de Down. “Foi maravilhoso, me faltam palavras para descrever esta experiência. Estou muito impressionada com o comportamento do meu filho, que não desviou o olhar em nenhum momento e estava muito envolvido com o teatro. O cenário estava perfeito, assim como o figurino e a interpretação. Fiquei impressionada com o realismo da crucificação e morte de Jesus. Tudo muito profissional”, avalia Ellen.

4 (800x534)

Foto: divulgação

Jane Lang Kohler era outra mãe que, emocionada, permanecia ao lado de seu filho especial, o Nicolas (11 anos), com paralisia cerebral. Apesar de viver em Guabiruba, foi a primeira vez que o menino acompanhou o espetáculo. Amparada pela direção do evento, Jane teve assegurada todas as questões de acessibilidade e, inclusive, conseguiu tirar com tranquilidade uma foto do filho ao lado do ator Julio Rocha. “Senti tanta emoção nesta noite que nem sei explicar. É um orgulho para Guabiruba sediar um evento deste nível e até a minha família, com algumas limitações, encontrou um local apropriado para prestigiar o evento”, ressalta.

Publicado por Olhar do Vale

Avalie essa notícia

Os comentários serão analisados pelo editor do site e podem ser excluidos caso contenham conteúdo discriminatório, calunioso ou difamador. O nosso objetivo é promover a discussão de ideias entre os internautas. Esteja ciente que comentando aqui você assume responsabilidade pela sua opinião.